Valorização das pessoas e busca pela qualidade marcam trajetória da Languiru

No primeiro sábado do mês de julho é comemorado o Dia Internacional do Cooperativismo, a forma mais evoluída do associativismo, que provém da união de esforços para vencer os desafios do dia a dia. Neste ano, o dia 6 de julho foi especial para celebrar a data que marca a força da solidariedade e da participação de milhares de pessoas na construção e no desenvolvimento do Brasil e do mundo.

“A maior riqueza da Cooperativa Languiru está nas pessoas que compõem o nosso quadro social e de colaboradores, nas pessoas que compõem nosso círculo de relacionamento. As cooperativas são fundamentadas na premissa do trabalho coletivo, objetivando o bem de todos. Dessa forma, a Languiru vem construindo uma base sólida, com a participação de todo o quadro social e colaborativo. A cooperativa é e precisa ser a extensão da propriedade do associado, e esse obrigatoriamente necessita de todo o apoio para que produza alimentos de qualidade e mantenha a sustentabilidade da propriedade rural”, destaca o presidente da Cooperativa Languiru, de Teutônia, Dirceu Bayer.

O crescimento da Languiru deu-se ao logo dos anos pela força da participação dos associados, pela sua fidelidade aos princípios cooperativistas de empreendedorismo e crescimento sustentável. Para os novos associados que se juntaram à grande “Família Languiru”, essa tem servido de motivo para estreitar laços e conhecer a força do associativismo com transparência, honestidade, tratamento igualitário e cooperação mútua.

Cooperativismo se faz com pessoas

“O reflexo da valorização do ser humano, princípio básico da Languiru, tem resultado no aumento significativo do número de associados e rejuvenescimento do quadro, refletindo no incremento do volume de produção de aves, suínos e leite. Consequentemente a área de atuação também tem crescido, o que possibilita que mais agricultores usufruam do sistema cooperativista. Todo este processo de crescimento requereu investimentos consideráveis. O volume de recursos exigidos nos últimos dez anos supera os R$ 170 milhões, aplicados na ampliação e modernização do parque industrial e comercial”, ressalta Bayer.

A Languiru não tem poupado esforços no sentido de buscar alternativas viáveis para manter o associado no campo. Atividades de produção são cada vez mais direcionadas para as propriedades rurais, com a garantia de manutenção da qualidade que as mesmas exigem. A Languiru, por sua vez, investe na ampliação dos parques industriais, possibilitando dessa forma oferecer mais opções ao quadro social.

Crescimento conjunto

Bayer reafirma que hoje a Languiru é dona do seu negócio, ou seja, está completa em todos os segmentos em que atua, com indústrias modernas, com alta tecnologia, e setor técnico e comercial desenvolvido e qualificado. “Hoje somos referência para muitas empresas e cooperativas, que buscam conhecer nossa forma de gestão e atuação, o que demonstra a seriedade com que trabalhamos. A Languiru é muito grande e os associados são donos da terceira maior cooperativa do Rio Grande do Sul.”

Na Assembleia Geral Ordinária realizada no mês de fevereiro, a cooperativa apresentou resultado com crescimento superior a 20% de 2011 para 2012, alcançando faturamento de R$ 641 milhões no último ano. A expectativa para o resultado de 2013 é que esse seja 30% superior ao de 2012, chegando próximo aos R$ 810 milhões.

“A estruturação da Languiru ao longo dos anos foi fundamental para que pudéssemos chegar a este resultado, com diversificação de atividades, parcerias estratégicas e investimentos, agregando valor e renda aos produtos primários. Nossos associados estão cada vez mais próximos da Administração, e isso fortalece a Languiru como um todo, pois acreditamos no trabalho solidário e transparente. O sucesso é a meta de todos”, comemora Bayer, agradecendo a todas as pessoas, em especial aos associados da Languiru, por acreditarem nesta ideia e fazerem desta cooperativa uma referência.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...