Mais de 80% dos pequenos empresários dos Vales do Taquari e Rio Pardo pretendem manter ou expandir negócios em 2021

Pesquisa do Sebrae foi realizada entre os dias 11 e 24 de janeiro deste ano

Otimismo mesmo com as incertezas da pandemia. Foi isso que apontou a pesquisa realizada pelo Sebrae RS. Conforme o estudo, 84,4% dos empresários de pequenas empresas pretendem manter ou expandir os negócios nos vales do Taquari e Rio Pardo.

De acordo com a gerente regional do Sebrae, Liane Klein muitas empresas estão reinventando os negócios para sobreviver em meio à crise. O processo de adaptação influenciou na perspectiva da retomada da economia, além do início da campanha de imunização contra o coronavírus.
Outro dado relevante aponta que 94% das empresas estão funcionando e 6% não estão conseguindo atuar com o seu negócio. E destas 6%, 50% encerraram as atividades definitivamente, muitas delas por falta de clientes. O mês de janeiro apresentou o melhor resultado da séria no comportamento de faturamento, 28% sinalizaram aumento de faturamento, 34% manutenção e 38% redução.

Essa estabilidade e recuperação do faturamento é uma tendência desde os últimos meses do ano passado e seguiu em janeiro de 2021. As vendas do final de ano, período de maior demanda para o comércio e prestadores de serviço, foram um dos principais motivos.

Mais detalhes acompanhe na Pesquisa de Monitoramento do Sebrae:
Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios
Janeiro/2021

Recorte: VTRP

 

Entre os dias 11 e 24 de janeiro de 2021, foi realizada uma edição especial do

levantamento, que além de monitorar a situação dos negócios, identificou as expectativas dos empresários para o 1º semestre de 2021.

 Na região do VTRP, 94% das empresas estão funcionando e 6% estão sem possibilidade de funcionar. E destas 6%, 50% encerraram as atividades definitivamente, muitas delas por falta de clientes.

 A tendência de estabilidade e recuperação do faturamento que vinha sendo observado nos últimos meses de 2020, segue em janeiro de 2021, fortemente influenciado pelo desempenho das vendas do final de ano, período de maior demanda para o comércio varejista e prestadores de serviços de diversos segmentos.

O mês de janeiro apresentou o melhor resultado da série no comportamento do faturamento, 28% sinalizaram aumento, 34% manutenção e 38% redução.

 

 

 

 

 

 

 

 

O comportamento da ocupação de pessoas apresentou maior percentual de empresas indicando aumento (22%) e redução (41%).

 

A média de ocupação de pessoas, no VTRP, foi de 2 por empresa. Em dezembro, era de 5 pessoas.

Os empresários estão mais confiantes com a retomada das atividades fruto da perspectiva de sucesso das vacinas e de uma possível melhora no cenário econômico.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A principal necessidade dos pequenos negócios do VTRP permanece sendo o capital de giro (44%), entretanto o tema mercado, em especial sobre o uso de ferramentas digitais para venda e relacionamento com clientes, ganhou relevância   em janeiro de 2021.

 

Necessidades para o 1º semestre de 2021

 

Resposta %
Recurso para capital de giro 44%
Orientação sobre o uso de ferramentas digitais para venda e relacionamento com clientes 41%
Recurso para investimento 41%
Parcerias com outras empresas para otimizar os negócios 38%
Consultoria/orientação para gestão financeira 34%
Alternativas para diversificar produtos/serviços 31%
Busca de novos fornecedores 28%
Consultoria para adequação de custos 28%
Análise sobre tendências e perspectivas do mercado 25%
Consultoria para readequação/remodelagem do negócio 22%
Análise do comportamento do consumidor 19%
Consultoria para gestão da crise 19%
Orientação no processo logístico (armazenamento, embalagem, distribuição, canal de vendas, prazos, etc) 19%
Orientações sobre questões legais (decretos, protocolos e medidas provisórias, etc.) 13%
Orientações sobre assuntos trabalhistas 9%

 

Algumas mudanças que foram implementadas nas empresas em 2020 e serão mantidas em 2021.

 

Mudanças que foram implementadas em 2020 e serão mantidas em 2021

Resposta Percentual
Relacionamento com clientes por redes sociais (instagram, whatsapp, facebook, linkedin) 70%
Controles financeiros mais rígidos 50%
Ampliação do portfólio de produtos e serviços 45%
Relacionamento  com  fornecedores e compras online de insumos 45%
Venda por redes sociais (instagram, whatsapp, facebook, linkedin) 45%
Novas formas para entrega de  produtos (correios, transportadora, motoboy, etc) 40%
Ampliação de parcerias com outras empresas 35%
Equipe reduzida 30%
Investimento em serviços online 25%
Redução/adequação de estrutura física 25%
Adoção do trabalho remoto 20%
Nenhuma mudança 20%
Venda em plataformas de mercado (Mercado Livre, Magazine Luiza, Amazon, Americanas, etc) 15%
Venda em site próprio 5%

 

 

 

 

 

Financiamento

 

O percentual de entrevistados que buscaram crédito em 2020 foi de 44% e 79% destes conseguiram o recurso.

 

Para aqueles que conseguiram o acesso ao crédito, 33% foi através de cooperativas de crédito e 67% através de bancos públicos.

 

Os entrevistados que buscaram e não conseguiram o crédito (67%), apontam as restrições cadastrais das empresas e/ou dos sócios como o principal entrave para a obtenção de crédito.

 

Dos entrevistados que não buscaram crédito (56%) nas instituições financeiras, 50% apontam que não precisaram e 38% estão utilizando recursos próprios.

 Fonte: Sebrae 

 

 

 

 

 

Fonte Assessoria de Imprensa CIC Vale do Taquari

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...