Lives do Saúde do Vale reúnem 70 participantes

Os integrantes do Saúde do Vale, Núcleo de Saúde e Segurança do Trabalho da Associação Comercial e Industrial de Encantado (ACI-E), avaliam de forma positiva a realização das lives que integraram a programação do Saúde em Dia.

Realizadas no formato de oficinas, e coordenadas por profissionais de diferentes áreas, as transmissões on-line reuniram 70 participantes e visaram à orientação e à troca de experiências sobre situações vivenciadas no contexto da pandemia e suas restrições, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas.

As lives ocorreram de 21 a 24 de julho e abordaram as seguintes temáticas: A difícil tarefa das mães na pandemia; Novas formas de trabalhar – efeitos da pandemia; e Como melhorar o convívio com crianças em desenvolvimento atípico.

Segundo a executiva da ACI-E, Bernardete Rissi, a programação foi uma excelente oportunidade para que os profissionais envolvidos compartilhassem conhecimento por meio de uma plataforma digital. “Todas as ações foram muito satisfatórias. Esta experiência também permitiu vislumbrar possibilidades de novos negócios para as empresas e profissionais envolvidos”, comentou.

A psicóloga Mônica Katz, que explorou o tema sobre as mães, destacou a interação que as oficinas proporcionaram com o público espectador. “Percebemos o quanto as mães têm necessidade desse tipo de troca. Porque muito mais do que mães, tem o aspecto mulher, da pessoa que está aí nos seus diferentes papéis no dia a dia, sobretudo, quando estamos passando por uma crise e um fator de estresse imprevisível que é a pandemia”, salientou.

A sobrecarga de funções atribuídas às mulheres chamou a atenção da farmacêutica Fabíola Matias. “Todas são mães, donas de casa, profissionais, professoras, esposas. Todas trabalham, ou home office, ou um turno. Todas têm que dar conta da educação dos filhos, das tarefas da escola, têm que limpar a casa, têm que ser esposa. Está sendo bem difícil”, constatou. Para Fabíola, poder dividir experiências e sentimentos durante a live também acendeu o sinal de alerta para as mães sobre problemas psicológicos que afetam os filhos. “O psicológico dessas crianças vai ficar muito abalado. E isso é muito pior do que a Covid”, afirmou.

A psicóloga Bianca Kappler, que coordenou o encontro sobre novas formas de trabalhar, elogiou o envolvimento dos participantes. “Por mais que seja de frente para uma tela, todos conseguiram se entregar à proposta, ser honesto, tirar suas dúvidas. Foi um espaço muito rico, justamente, porque as pessoas se adaptaram a esse novo contexto de pandemia, que é um distanciamento social, mas não afetivo. Acredito que devemos repetir esse tipo de atividade”, disse.

Fonte Assessoria de Imprensa Aci-E Encantado

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...