Futuro- Na relação com o meio ambiente, colhemos o que plantamos

Languiru mostra exemplos de preservação, sustentabilidade e reciclagem

Ter responsabilidade ambiental é um pré-requisito indispensável no mundo atual. E a Cooperativa Languiru possui ações nesta área com o propósito de garantir, além de alimentos, um planeta habitável para as futuras gerações. Nesta reportagem vamos destacar alguns exemplos práticos e significativos do que a cooperativa realiza: a coleta e o aproveitamento de água da chuva no Frigorífico de Suínos, em Poço das Antas; o tratamento de efluentes que permite o reuso da água tratada; a logística reversa de embalagens; e a priorização de embalagem plástica reciclada para proteção de embalagens de papelão, por exemplo.

Aproveitar a água da chuva

Coletar e aproveitar água da chuva no Frigorífico de Suínos é um dos exemplos, ação que já estava contemplada desde o início das obras, na concepção do projeto do frigorífico. Para concretizar, foram instaladas calhas para coleta da água da chuva em parte do telhado do empreendimento. Essa água é coletada e armazenada em lagoa com capacidade aproximada de 2.500m³. “Esse processo é realizado desde o início das atividades do frigorífico. Essa água é utilizada para lavagem de caminhões, no ajardinamento e fins menos nobres da unidade industrial”, explica o engenheiro ambiental da Languiru, Tiago Feldkircher.

Reuso do efluente

No início de 2015, a Cooperativa Languiru foi além. Instalou filtro de areia, com capacidade para filtrar aproximadamente 150m³/h de efluente tratado. O filtro está instalado após a Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) e parte do efluente tratado, em vez de ser lançado no Arroio Poço das Antas após o filtro, pode ser também reutilizado na lavagem de caminhões e na limpeza da peneira da ETE.

Hoje ainda não é utilizada toda capacidade do filtro e, por isso, estão sendo estudadas alternativas para reuso de maior parcela do efluente tratado. “Com isso minimizamos o lançamento no recurso hídrico, auxiliando na garantia da qualidade ambiental, além de reduzir o consumo de água potável e captação de água dos poços tubulares (poço artesiano)”, pondera.

Logística reversa

É um tema mais recente quando se fala em sustentabilidade e meio ambiente. A Languiru participa de uma coalização da Logística Reversa de Embalagens. De forma geral, a cooperativa participa da logística reversa de resíduos que já têm o acordo setorial firmado, como lâmpadas, pneus, pilhas e baterias, dando o destino correto para esses resíduos.

“Com a logística reversa de embalagens, também instituída pela Política Nacional dos Resíduos Sólidos, a Languiru se associou à Associação de Logística Reversa do RS (ASLORE), entidade que agrega diversas empresas para auxiliar no atendimento à logística reversa de embalagens e que participa representando essas empresas na coalizão”, relata Feldkircher.

A logística reversa tem importância para garantir a destinação das embalagens dos produtos produzidos na cooperativa. Abrange a destinação de embalagens primárias, secundárias e terciárias de qualquer material (plástico, papel, papelão, vidro, metal). A Languiru, juntamente com a ASLORE, busca atender as metas de reciclagem definidas na coalizão e, com isso, auxilia entidades que possam garantir a destinação correta desses resíduos, como, por exemplo, cooperativas de catadores (entre elas a cooperativa que realiza o trabalho de separação no aterro de Teutônia), contribuindo com materiais, insumos e auxílio na gestão.

“Todas as ações visam aumentar a destinação dos resíduos de forma correta, garantindo que sejam reciclados ou que tenham destino final adequado”, acrescenta o engenheiro ambiental. Os associados e comunidade podem contribuir separando os resíduos corretamente e destinando os mesmos para reciclagem ou seu destino final adequado (aterro sanitário), quando for o caso.

 

Plásticos para embalagens

Os plásticos que protegem embalagens de papelão também recebem atenção da Languiru neste processo de responsabilidade ambiental. Feldkircher explica que “a cooperativa prioriza a compra de embalagens secundárias, especialmente plásticos, de empresas que empregam grande parcela de plásticos reciclados nos seus processos produtivos”.

Conforme o engenheiro ambiental, essa ação auxilia na redução do consumo de matéria-prima virgem para produção de plásticos. “Outro fator importante é a garantia de reciclagem de plásticos que anteriormente seriam destinados ao aterro sanitário ou, em muitos casos, não teriam seu destino correto, podendo causar contaminação do solo e da água”, conclui.

Fonte Assessoria de Imprensa Cooperativa Languiru

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...