ERS 130 entra como uma das prioridades no processo de concessão de rodovias

Afirmação foi feita pelo governador Eduardo Leite, durante audiência em Porto Alegre

Empresários, lideranças e políticos liderados pela Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC Vale do Taquari), cobraram do governador do Estado, Eduardo Leite, obras de duplicação/ampliação na ERS 130 e em outras rodovias da região. O grupo apresentou as demandas relativas à questão da infraestrutura viária durante audiência nesta terça-feira, (30) no Palácio Piratini.

 

Participaram do encontro os secretários de Logística e Transportes, Juvir Costella, de Governança e Gestão, Claudio Gastal, e o presidente da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), Urbano Schmitt, os deputados federal Lucas Redecker, o estadual Edson Brum, a presidente da Federasul, Simone Leite, os presidentes da CIC Vale do Taquari Pedro Antonio Barth,  da Associação dos Municípios do Vale do Taquari, Jonatan Brönstrup, da Associação Comercial e Industrial de Arroio do Meio, Adailton Cé, a presidente do Codevat, Cíntia Agostini, os prefeitos de Lajeado, Marcelo Caumo, de Arroio do Meio, Klaus Werner Schnack, os empresários Gilmar Borscheid, Gilberto Piccini, Adelar Steffler e o diretor de infraestrutura da CIC Vale do Taquari Leandro Eckert.

 

O trecho entre Lajeado- Arroio do Meio recebe em média mais de 28 mil veículos por dia. O grupo reclamou que o trecho de 12 quilômetros é caótico, moroso e de alta periculosidade. O presidente da Dália Alimentos, Gilberto Piccinini, ressaltou que a Cooperativa está fazendo investimentos na região, e a tendência é movimentar ainda mais a região com fluxo de pessoas e caminhões. “Nós sentimos que vamos entrar em colapso, o leite por exemplo, tem horário para chegar na laticínios. Contamos com investimentos para facilitar a logística do transporte de veículos e de pessoas.”

 

De acordo com um dos dossiês entregues pela CIC Vale do Taquari ao governador do Estado, a duplicação entre Lajeado/Arroio do Meio é uma das etapas da duplicação entre Venâncio Aires / Muçum, como prevê o Estudo de Viabilidade Econômica e Ambiental (EVTEA),  feito ainda em 2013, que estabelece o cronograma de obras para o trecho.

 

Outra sugestão apresentada foi a adoção da cobrança eletrônica no pedágio. A CIC VT demonstrou que é uma forma mais justa, em que se paga conforme o uso da rodovia, adotada mundialmente e que o governo federal implantará nas novas concessões de BRs. Também deixa de penalizar microrregiões onde se localizam os postos físicos de cobrança, como, no nosso caso, Encantado e municípios próximos. Também foram apresentadas outras reivindicações, como a qualidade do pavimento e melhorias nas estradas entre Encantado – Doutor Ricardo, Nova Bréscia – Coqueiro Baixo e por último, a rodovia que dá acesso a Progresso.

 

O governador explicou que caminho é a parceria com o setor privado. O Estado não tem condições de fazer obras com recursos próprios. Ele citou ainda o acordo com o BNDS para a modelagem técnica de privatizações no RS. “Por conta do fluxo, queremos acelerar para que a ERS 130 entre no processo de concessão das rodovias.”Eduardo Leite afirmou que pretende incluir o Porto de Estrela, no plano de revitalização e assegurou que a Empresa Gaúcha de Rodovias ( EGR) deve ser extinta em no máximo 2 anos.

Fonte Assessoria de imprensa CIC Vale do Taquari

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...