Condomínio de leite: Dezessete produtores devem participar

As últimas reuniões realizadas no município foram bastante produtivas para colocar em prática o programa Associativo de Produção Leiteira, idealizado pela da Dália Alimentos, e que será executado em parceria com o Poder Público.

O último encontro ocorreu no início deste mês e teve a participação de representantes da DeLaval Brasil, empresa fornecedora de serviços para os produtores de leite que desenvolve, fabrica e distribui equipamentos e sistemas completos para a produção de leite e criação de animais. A DeLaval é uma das três empresas do Tetra Laval Group, um grupo de empresa privado de origem sueca. As duas outras empresas do grupo são Tetra Pak e Sidel.

O gerente técnico da Região Sul, Márcio Gato, explicou aos participantes o sistema de robô que deve ser utilizado no condomínio de leite a ser estruturado em Linha Tigrinho Baixo. Também foi feita a demarcação dos galpões no local, cuja planta está concluída. Em outra oportunidade, também estiveram presentes no município, com depois deslocamento à comunidade que vai receber o galpão moderno, os presidentes do Conselho de Administração e Executivo da Dália Alimentos, Gilberto Piccinini e Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, respectivamente. Para selar a iniciativa, um aperto de mãos coletivo foi feito no local.

Dezessete produtores estão inscritos no programa. O grupo está elegendo a diretoria e também existe um processo burocrático para aquisição da área de terra onde o condomínio será construído de forma associativa.

O programa Associativo de Produção Leiteira busca reunir produtores em torno de um empreendimento de produção associativa, proporcionando o aumento da produtividade e renda dos associados.

A proposta sugere que a infraestrutura, a tecnologia e a administração técnica sejam de responsabilidade da Dália Alimentos. Os produtores serão sócios do empreendimento e responsáveis pela alimentação das vacas, adquirindo suas cotas de acordo com o valor dos animais que vão alojar no condomínio. Toda a gestão será conjunta com as famílias associadas.

Com a formação do empreendimento, o leite do grupo será produzido em um único local, o que irá garantir maior preço e qualidade. Todos os recursos serão otimizados: equipamentos, mão de obra e tempo. Quanto aos animais, vão receber assistência técnica intensiva, alimentação balanceado e regular, o que trará produtividade e eficiência.

Leite em fomento

Conforme o secretário municipal de Agricultura, Cristiano Carlos Laste, as obras devem iniciar em setembro. Serão 250 vacas alojadas. “Será um alto e importante investimento para alavancar e valorizar a atividade leiteira.”

Nova Bréscia conta com 190 produtores de leite, sendo 140 comerciais. A produção anual gira em torno dos seis milhões de litros de leite. Ele adianta que o município estuda o projeto de atividades que venham à incrementar a atividade, favorecendo os produtos. “Pensamos em um programa que beneficiem toda cadeia produtiva, desde a implantação, genética, melhoramento propriedades.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...