Videomonitoramento terá 16ª câmera em Lajeado

Após reunião com empresários, nesta quarta-feira, dia 4, na sala de videomonitoramento localizada na sede do 22º Batalhão da Brigada Militar, o secretário de Segurança Pública e Cidadania (SSPC), Gerson Teixeira, anunciou a instalação da 16ª câmera de vídeo no município.

De 13 empresários convidados, 10 decidiram apoiar a compra e instalação do equipamento, que tem custo estimado em cerca de R$ 12,5 mil. Ainda deverá ser feita uma análise técnica para determinar o local de instalação, que pode ser no cruzamento da Rua Júlio de Castilhos com a Rua Francisco Oscar Karnal, ou então no cruzamento da Júlio de Castilhos com a Rua João Batista de Melo.

“A câmera terá a mesma tecnologia das outras 15 que já foram instaladas e ajudará a inibir a ação de criminosos nas suas proximidades”, afirmou Teixeira. Segundo ele, a ideia é estender o projeto aos bairros e chegar a um número de pelo menos 20 câmeras instaladas, capacidade máxima para um operador conseguir monitorar as imagens.

O secretário destaca que um dos locais que pode ter uma câmera instalada é no entorno da Univates, já que o centro universitário encontra-se próximo da extensão de fibra ótica, que chegou até o cruzamento das avenidas Senador Alberto Pasqualini e Piraí, no Bairro São Cristóvão. A redução significativa de ocorrências de furtos, assaltos, tráfico e demais crimes na área de abrangência do videomonitoramento é um dos maiores benefícios do projeto, defende Teixeira. Segundo ele, a 16ª câmera estará funcionando antes do Natal.

Audiência pública

Paralelamente ao trabalho que envolve o videomonitoramento, Gerson Teixeira anuncia que o município deverá sediar, até o dia 20 de novembro, uma audiência pública com o comandante da Brigada Militar no Estado, chefe da Polícia Civil no RS, diretoria estadual da Susepe e diretoria do Instituto Geral de Perícias (IGP). “Ainda não temos a definição de data e local da audiência, mas o mote de discussão serão as demandas destas instituições ligadas à área da segurança”, adianta Teixeira. Ele cita, como exemplo, o histórico deficit de efetivo de policiais militares e civis em Lajeado como um dos maiores problemas de segurança do município. Segundo ele, esta será a primeira audiência no estado a reunir as referidas chefias.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...