V Jornada técnica ambiental: Gestão ambiental e marcas verdes pautam debate

A validade da gestão ambiental como ferramenta para fazer o diferencial competitivo das organizações e os cuidado para desenvolver uma verdadeira marca verde foram os temas centrais da V Jornada Técnica Ambiental, realizada na noite da última quinta-feira, dia 4, no salão de eventos da Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil). O evento, que iniciou às 19h teve como palestrantes o empresário e voluntário Gilberto Soares, o engenheiro químico e professor Eduardo Ramos de Santana e a professora e doutora em gestão de marcas Elizete Kreutz. Os dois professores atuam na Univates.

O diretor de Responsabilidade Social da Acil, Fernando Bildhauer, fez a abertura do evento. A seguir, Soares discorreu sobre a ação “Viva o Taquari Vivo”, iniciando o ciclo de palestras da noite.

Gestão ambiental

Falando sobre o tema “Gestão Ambiental: porque vale a pena?”, Santana explicou existirem diferentes mecanismos que podem ser empregados em prol da gestão ambiental. Segundo o mestre e professor da Univates, entre outros se encontram a implantação da norma ISO 14001, a produção mais limpa, a eco eficiência e a análise de ciclo de vida.

Adianta que o descuido com o meio ambiente provoca impactos e desastres ambientais afetando a natureza e o ser humano. “Algumas evidências apontam a necessidade do setor produtivo se reinventar e considerar o equilíbrio entre a economia, sociedade e meio ambiente, buscando o desenvolvimento sustentável”, enfatiza o professor Santana.

Green brand

“Green Brand: as (in) coerências da marca” foi o tema da professora Elizete Kreutz. Explicou que green brand é a denominação usada mundialmente para se referir às marcas que são responsáveis social e ambientalmente

A Green Brand(ing) tem se manifestado como uma tendência crescente no mercado global. Porém, seu sucesso dependerá de suas ações e da forma como elas são comunicadas, ressalva a professora.

“Toda marca pode e deve fazer uso da estratégia comunicacional de Green Brand, desde que apresente algo a mais do que já está previsto em lei, em relação à sustentabilidade”, orienta Elizete.

Adianta que, para comunicar a seus públicos as ações verdes da marca, é imprescindível que, por um lado, o profissional responsável pela gestão da marca tenha conhecimento e entendimento suficientes dos processos de comunicação e de construção do imaginário coletivo, ao qual está vinculado os acontecimentos sociais. Por outro lado, é necessário que esse profissional conheça e compreenda os antecedentes históricos que conduziram a existência das marcas verdes e de sua valorização atual.

Ao final das apresentações, o público interagiu perguntando e trocando experiências com os palestrantes.

Realização

A V Jornada foi uma realização da Acil, Unidade Parceiros Voluntários (UPV) Lajeado e Univates. Teve o patrocínio do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e da Companhia Riograndense de Água e Saneamento (Corsan), com o apoio da Secretaria de Meio Ambiente de Lajeado, Agea Marketing e Comunicação, Bebidas Fruki e Docile Alimentos.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...