Unidades de Referência da Chamada do Leite participam de capacitação em Teutônia

Um grupo de 20 produtores que fazem parte das unidades de referência (URs) da Chamada Pública do Leite – operacionalizada pela Emater/RS-Ascar, por meio de convênio com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) – participou na última sexta-feira, dia 2, de uma capacitação com temas relacionados à bovinocultura de leite. O evento foi dividido em quatro etapas, com a realização de palestra, apresentação de planilha de cálculo para Gestão da Propriedade Leiteira (GPL), troca de experiências e atividade de campo sobre silagem e sala de ordenha. Todas as ações ocorreram no Colégio Teutônia, no município de mesmo nome.

Um dos temas abordados durante o dia foi o “Gerenciamento da Propriedade” em palestra ministrada pelo supervisor da Emater/RS-Ascar, Cezar Burille. Conceitos relacionados a receitas, despesas, custos, juros sobre capital, margem bruta e lucro foram abordados por Burille, com o objetivo de qualificar os processos de gestão e para alertar a respeito da importância da organização das propriedades. “Por exemplo, de nada adianta um investimento mal feito, que pouco retorno trará”, observa. “Importante é racionalizar, fazer o simples e garantir aquilo que dará retorno econômico e bem estar, evitando excessos”, analisa.

Para o agricultor Eloir Lottermann, da localidade de Bauereck, Forquetinha, os conhecimentos adquiridos em cursos e capacitações da Chamada têm sido importantes para o fortalecimento da atividade. Na propriedade em que divide com a esposa e os filhos, possui oito vacas em lactação, produzindo cerca de 100 litros de leite ao dia. “Mas nem sempre foi assim, já que antes os meus três animais não rendiam mais do que cinco litros cada”, recorda. A atenção para o manejo de pastagens, para o cuidado com a higiene, e, a partir de agora, para com o gerenciamento, contribuem para modificar o cenário. “É um aprendizado constante”, afirma.

A história da produtora Judite Teresinha Schäfer, de Linha General Neto, em Barão, é semelhante. Quando iniciou na atividade, há pouco mais de seis anos, sua produção não alcançava os 15 litros diários com as duas vacas que possuía na propriedade em que divide com o marido e com o filho de 11 anos. O apoio da assistência técnica continuada, aliada a inclusão na Chamada fez com que ela ampliasse a sua produção, ultrapassando os 100 litros de leite diários. “A minha ideia é aumentar ainda mais esse número, qualificando os processos, gerindo melhor a propriedade e alcançando os 300 litros diários”, projeta.

De acordo com o assistente técnico regional da Emater/RS-Ascar em Sistema de Produção Animal, Martin Schmachtenberg, o caso dos dois produtores está diretamente relacionado ao perfil das famílias que estão sendo atendidas pela ação do MDA. “São produtores com baixas litragens, mas com potencial para desenvolver e ampliar a atividade, garantindo qualidade de vida”, enfatiza Schmachtenberg, que também coordena a Chamada Pública do Leite, na região. No lote 19, são 41 municípios e 500 famílias beneficiadas pela atividade, que segue até o final de fevereiro de 2017.

Ao final da Chamada Pública espera-se, de acordo com o coordenador, que os beneficiários possam se apropriar dos temas abordados nas capacitações, cursos, palestras ou dias de campo realizados, aumentando sua produção e, consequentemente, sua renda. “Além disso, as atividades também possibilitarão aos agricultores uma adequação em relação às exigências do mercado”, afirma Schmachtenberg. “Algo que beneficiará não apenas os bovinocultores, que terão um leite de mais qualidade, mas também a indústria, os consumidores e, no fim das contas, a sociedade como um todo”, explica.

Além de 20 produtores que participam das URs, o evento contou com a presença de autoridades, entre elas o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli e o diretor do Colégio Teutônia Jonas Rückert. Brandoli ressaltou a importância do trabalho realizado pelos participantes da Chamada. “As reuniões, palestras, seminários e oficinas, aliadas a assistência técnica permanente, podem, inclusive, contribuir para a ampliação das oportunidades relacionadas à sucessão familiar”, observou. “Esse é um tema muito importante para nós, sendo fundamental a apropriação das ferramentas que possam alavancar esse processo”, finalizou.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...