Turmas do Projeto Sucessão Familiar da Dália começam a desenvolver projetos

Os participantes do Projeto Sucessão Familiar da Dália Alimentos terão um desafio ainda maior neste ano: elaborar um projeto que vise à inserção dos jovens nas atividades, à melhoria nos resultados e ao aumento da produtividade.

Essa será a tarefa que encerrará as aulas do projeto idealizado pela Dália Alimentos e que conta com duas turmas em andamento: as Turmas 2 e 3. No ano de 2013, a cooperativa deu início ao projeto, com a primeira turma-piloto, na tentativa de fornecer aos jovens rurais conhecimento e alternativas de permanência na propriedade agrícola. A formatura ocorreu no final daquele ano, com a entrega de certificado a todos os participantes.

De acordo com o professor e consultor em Pesquisas e Gestão Empresarial, Lucildo Ahlert, neste ano, os participantes aprenderão a desenvolver os próprios projetos, transformando os objetivos traçados em realidade profissional junto às propriedades rurais onde vivem. “Junto à implementação de mudanças serão discutidos, com os jovens e com os pais, de forma separada, as maneiras mais adequadas para serem seguidas no processo de sucessão, nas atividades econômicas e na transferência patrimonial em propriedades rurais”, explica Ahlert.

A Turma 3, organizada em setembro de 2014, está em fase inicial de compilação do banco de dados, com a conclusão do levantamento patrimonial nas propriedades. No mês de janeiro deste ano iniciou-se o levantamento dos custos e dos indicadores de resultados por atividade. Para o segundo semestre, segundo o professor, está previsto o desenvolvimento de atividades dos projetos, além da discussão sobre o processo de sucessão para cada propriedade. O grupo encerrará as atividades em janeiro de 2016.

Já a Turma 2, que deu início aos trabalhos em março de 2014, prevê o encerramento das aulas para julho deste ano. “O projeto representa uma grande oportunidade de convivência e de troca de experiências. Os resultados demostram que vale a pena buscar novos desafios e dedicar-se ao bem de toda a família e da propriedade”, destaca Ahlert.

Quebra de hábitos

O Projeto Sucessão Familiar da Dália Alimentos visa promover a formação profissional de filhos de produtores a fim de administrarem, de forma eficaz, as propriedades rurais. Conforme o professor, alguns aspectos devem ser considerados inerentes ao processo: os participantes devem apresentar características de empreendedorismo. “Considerando que atividades da agricultura familiar não são de caráter assalariada, os resultados não são constantes, apresentando grande variabilidade”, explica.

Ele observa que os resultados dessa formação não ocorrem em curto prazo, uma vez que a cultura no meio rural é de dedicação exclusiva às atividades de renda e não de manter em dia um sistema de dados para análise de resultados. “Assim, para poder tomar decisões e fazer mudanças, há necessidade de construir um sistema de dados, o que representa a quebra de um tabu histórico.”

Depoimentos

“O curso está sendo muito bom e, através das aulas, é possível descobrir coisas que nem se imaginava um dia dar valor, como, por exemplo, o levantamento patrimonial e os gastos que não se dava valor, por ter os insumos na propriedade. É um ótimo controle. Muito do que já aprendi estou aplicando na propriedade: anotações de entradas e saídas com o controle na ponta do lápis, sabendo onde se pode fazer cortes de gastos e onde se pode realizar investimentos. Com o levantamento patrimonial pode-se enxergar o verdadeiro valor da propriedade. Bom, recomendo para que todos os jovens façam esse curso, pois é muito bom.”
*Carlos Roberto Stein (26), Estrela

“O curso é uma grande oportunidade para adquirirmos novos conhecimentos e colocá-los em prática em nossa propriedade. Estou fazendo o controle de caixa, anotando todos os gastos e também as entradas da propriedade, anotações que não fazia antes. Hoje, vejo que esses controles são muito importantes.”
*Daniela Bettio (22), Coqueiro Baixo

“Neste curso tivemos novas experiências, aprendizados, ideias e objetivos. Aprendemos a fazer o levantamento dos custos de produção, o fluxo de caixa, tivemos a clareza de como funciona o sistema das propriedades, de como pensar, agir e trabalhar. Está sendo uma experiência ótima, além de pensarmos no nosso futuro. Já estamos trabalhando nele, criando, assim, junto a nossos pais, um novo sistema para colhermos bons frutos. A partir disso, no decorrer dos anos, estaremos planejando um belo projeto para nossas propriedades.”
*Mônica Morari (18) e Izequiel Zuffo (24), ambos de Progresso

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...