Turma III do Projeto Sucessão Familiar inicia as aulas

Alunos motivados e com o interesse de empreender e dar continuidade aos negócios dos pais no meio rural. Este é perfil na Turma III do Projeto Sucessão Familiar da Dália Alimentos. O primeiro encontro com os participantes, com os pais e com a direção da cooperativa ocorreu no dia 24 de setembro, no Centro de Cultura, no Parque Dália em Encantado.

A Turma III é composta por 21 alunos que participarão de encontros mensais pelos próximos 15 meses, assim como ocorreu com a Turma I, concluída no fim de 2013; e com a Turma II, que encontra-se em andamento desde o início deste ano. O conteúdo, pautado na gestão e no gerenciamento da propriedade agrícola, é ministrado pelo professor e consultor Lucildo Ahlert.

Na abertura da primeira aula, todos os alunos se apresentaram e relataram os motivos que os levaram a fazer parte do projeto. Eles destacaram o espírito de aprender, empreender, de gerenciar bem os negócios e de permanecer na propriedade com mais conhecimento. Alguns pais também participaram da aula inaugural da Turma III.

O vice-presidente da Dália Alimentos, Pasqual Bertoldi, fez a recepção ao grupo, referindo-se ao Projeto Sucessão Familiar como “a menina dos olhos” da cooperativa. Enfatizou com bastante afinco a palavra mudança e comentou que, no mundo atual, tudo gira em torno das modificações. “É por isso que precisamos buscar o conhecimento e sempre nos adequarmos às possíveis mudanças que a vida nos impõe. Mudar, muitas vezes, é necessário para que tenhamos crescimento e novos rumos para a nossa vida pessoal e também profissional.”

Bertoldi frisou, ainda, que a cooperativa é de todos e que, por esse motivo, necessita que os jovens e que as famílias estejam atentas às novidades e com o espírito de tornar a cooperativa e as propriedades ainda mais prósperas e rentáveis.

O presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini, recordou que o Projeto Sucessão Familiar é fruto de um sonho antigo da direção da cooperativa. “Enxergamos nessas turmas o futuro da Dália Alimentos. Daqui poderão sair e surgir diversas lideranças inteligentes, com mentes abertas e pensantes como futuros delegados, conselheiros e porque não presidentes? Nossa aposta é em vocês”, colocou Piccinini.

O presidente também ressaltou a importância da participação nos encontros mensais e adiantou que para aqueles que cumprirem 75% de frequência uma viagem com destino a ser definido será concedida no término das aulas. “São inúmeras oportunidade que se abrem. O curso é gratuito e a Dália quer investir em vocês. Aproveitem ao máximo e busquem essa qualificação para elaborar projetos, traçar metas e executá-las”, pontuou.

O próximo encontro da Turma III está previsto para o dia 22 de outubro, a partir das 10h, com dúvidas sobre informática e, a partir das 14h, aula normal. Já a Turma II reúne-se no dia 15, às 14h.

Para o filho de coração

Décio Bayer (54) é um pai coruja. Liderança forte dentro da cooperativa, também é um incentivador para que o filho Tiago da Fonseca (24) gerencie os negócios que ele começou na localidade de Santana, interior de Fazenda Vilanova.

Décio, que também é delegado da Dália Alimentos, atua com a produção de 1,2 mil litros de leite por dia e possui 600 suínos alojados em terminação. É neste contexto que Tiago aparece como um de seus sucessores. O jovem chegou à casa de Dirceu quando tinha apenas 13 anos e, desde então, nunca mais saiu. O garoto, que era servente de pedreiro, cativou o produtor pela garra e determinação. Mais que um simples menino que passou a viver junto à família, Tiago tornou-se o filho de coração do produtor.

Devido à motivação de Tiago, Décio decidiu investir no jovem e repassar a ele tudo o que sabe. Embora não haver laços de sangue, o companheirismo os uniu e hoje pai e filho compartilham de todas as decisões da propriedade. “Incentivei ele a participar do projeto, porque quero que ele dê continuidade aos negócios. Ele é muito inteligente e merece essa oportunidade”, diz Décio. Além de Tiago, o produtor é pai de Jonatam (12) e Tuana (18).

Eliza, a entusiasta

Uma entusiasta por fazer a propriedade crescer e evoluir. Foi assim que a Técnica em Informática Eliza de Borba Costa (34) se autodefiniu. Há dois anos ela decidiu retornar à propriedade em Estrada Morro Azul, no interior de Paverama. Junto à irmã e associada da Dália Alimentos, Elizete (44), ela busca conhecimento para tocar os negócios com informação e gestão.

Bastante empolgada, Eliza faz questão de contar que, embora viver e trabalhar tanto tempo em grandes cidades e com diversas funções, agora prefere o interior. “Estamos começando a reestruturar o nosso negócio. Aos poucos queremos ter mais qualidade e lucratividade. Estou neste curso para isso, adquirir bastante conhecimento.”

Saiba mais

O Projeto Sucessão Familiar da Dália Alimentos teve início em março de 2013, com a primeira turma piloto inscrita e composta por 11 alunos, a chamada Turma I, que concluiu o curso em dezembro de 2013, quando houve formatura e entrega de certificado.

Atualmente, a Turma II encontra-se em andamento, cujas aulas tiveram início em fevereiro deste ano com 15 alunos inscritos. A Turma III deu início aos encontros no dia 24 de setembro. O projeto tem a duração de 18 meses, tempo que foi ampliado neste ano – antes eram apenas dez meses.

O conteúdo aplicado nos encontros refere-se basicamente ao gerenciamento da propriedade agrícola, com vários módulos, os quais são repassados pelo professor e consultor Lucildo Ahlert. Inclui a sistemática das atividades duas visitas a propriedades, implementação de sistemas informatizados, discussão sobre sucessão e projetos de melhoria, organização dos dados pelo participante e revisão dos lançamentos à distância.

Os encontros ocorrem uma vez por vez, das 14h às 17h. O objetivo é garantir e viabilizar com que os jovens deem continuidade aos negócios da família e que permaneçam nas propriedades com conhecimento para gerenciar a atividade.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...