Trem turístico rumo ao Vale: só falta liberação dos trilhos

Uma comitiva de gestores municipais da região – representando a Associação dos Municípios de Turismo do Vale do Taquari (Amturvales) – esteve reunida, na terça-feira, dia 8, com a direção da Serra Verde Express, maior operadora de trens turísticos do país. O encontro serviu para que a empresa reafirmasse seu interesse em tirar do papel o projeto do Trem Turístico do Vale do Taquari.

Em planejamento desde 2014, o roteiro ferroviário é visto pela Amturvales como o futuro propulsor do turismo regional. Em seu percurso, o trem irá de Estrela a Guaporé, passando por Colinas, Roca Sales, Muçum, Vespasiano Corrêa e Dois Lajeados. “Foi uma reunião muito positiva com o dono da Serra Verde Express. Eles têm equipamento, estrutura, pessoal capacitado, conhecimento da área, tudo que for necessário para esse roteiro funcionar”, conta o presidente da associação, Valnei Cover.

Espera

A comitiva do Vale se reuniu também com os administradores dos trilhos que cruzam a região. Os direitos de exploração da ferrovia para transporte de cargo pertenciam à América Latina Logística (ALL). A empresa, porém, se fundiu com a Rumo, formando a Rumo ALL – companhia que agora administra 12,9 mil quilômetros de malha ferroviária, 966 locomotivas e 28 mil vagões.

“Conversamos com eles e apresentamos nossa proposta de uso dos trilhos para fins turísticos. Eles nos receberam muito bem e pediram mais documentos, para que possam avaliar. Nos disseram que não sabiam da carta que a ALL havia nos dado dizendo que poderíamos utilizar os trilhos”, explica Cover.

“A nova empresa vai decidir com base em sua própria análise, não nas promessas feitas pela antiga. Agora, estamos providenciando e encaminhando os documentos solicitados. Em 15 ou 20 dias devem nos dar um retorno”, acrescenta.

Próximos passos

Com a documentação encaminhada à Rumo ALL, a Amturvales agora aguarda liberação do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit) para que os municípios possam reformar e utilizar as respectivas subestações. No mês passado, Colinas foi a primeira cidade a conseguir liberação para explorar o local por 20 anos, revitalizar o prédio e adaptar a infraestrutura às necessidades do trem turístico.

“Guaporé também deve acertar o acordo ainda este mês. O Dnit tem se mostrado muito parceiro da região neste projeto e parece interessado também que saia do papel”, acredita. Para as reformas das subestações, o presidente da Amturvales explica que, após a concessão, cada município é responsável pela revitalização e manutenção de suas respectivas estruturas. “Após a autorização da Rumo ALL e do Dnit, só vai faltar a tratativa das prefeituras com a Serra Verde Express, mas o acordo entre os municípios e a operadora já está praticamente acertado”, enfatiza.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...