Transformar problemas em oportunidades

Conciliar a atividade profissional à comunitária. Esse foi o foco da palestra do presidente da Câmara de Indústria e Comércio (CIC) do Vale do Taquari, Ito Lanius, na manhã de ontem durante a V Semana Municipal do Empreendedorismo.

A programação foi organizada pela Associação Comercial e Industrial de Encantado (Aci-e), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Lume Centro de Educação Profissional (LumeCEP) e Arranjo Produtivo Local (APL) de Agroindústrias Familiares do Vale do Taquari. O evento contou com a presença de autoridades, empresários, estudantes e demais interessados.

Para Lanius, criador de oito empresas e integrante de diversas entidades, o principal ganho ao destinar um tempo para a participação comunitária são os relacionamentos. “Precisamos nos envolver, pois isso influencia também nossa vida profissional”, comenta.

Segundo o presidente da CIC e empresário no ramo de adubos orgânicos, não há fórmula para o sucesso empresarial. “É preciso olhar os problemas e transformá-los em oportunidades”, salienta. Lanius frisa também a importância de inovar e fazer diferente sempre para surpreender os clientes.

Também ontem, na LumeCep, houve a apresentação de dois cases de sucesso. Um com a consultora empresarial do Pipocando Marketing, Graziela Muniz, e o outro com o empresário Jairo Luiz Casagranda, da Diamajú Agrícola.

A Semana do Empreendedorismo iniciou na segunda-feira e encerra nesta sexta-feira. Palestras, cursos seminários, cases de sucesso e troca de experiências são algumas das atividades realizadas por várias entidades. O objetivo é estimular o empreendedorismo nas áreas de turismo, tecnologia, agronegócio, comércio, indústria e serviços.

A realização é da LumeCEP, APL de Agroindústrias Familiares do Vale do Taquari, UERGS, Faterco, Amturvales, Aci-e, CDL, administração municipal, Região dos Vales Comunicação Digital, Lume Eventos e Sebrae. A programação tem o patrocínio de Baldo S.A. e Lojas Benoit.

Hoje
As atividades de hoje iniciam com o almoço empresarial com a apresentação do case de sucesso da Baldo S.A. O diretor comercial, Leandro Beninho Gheno, apresenta a história da empresa e fala de momentos cruciais, bem como dos projetos atuais e já concretizados. Aborda ainda a sua experiência em governança cooperativa.

O evento promovido pela Associação Comercial e Industrial de Encantado (Aci-e) inicia às 11h45min, no Clube Comercial. É aberto a associados da entidade e não associados. O ingresso é mediante adesão, ao valor de R$ 38 para sócios e R$ 50 para não sócios. Mais informações e reservas, pelo 3751-2255.

À noite, a partir das 19h, o empresário da Orgatec Contabilidade, André Bergamaschi, apresenta seu case de sucesso na LumeCEP. No Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação de Encantado, às 19h15min, ocorre o seminário Alimento de verdade, do campo à cidade. Esse evento é realizado pelo APL de Agroindústrias Familiares do Vale do Taquari, Faterco e Uergs.

Entrevista

Criatividade para inovar
Natural de Vespasiano Corrêa, o diretor comercial da Baldo S.A., Leandro Benhinho Gheno, será um dos palestrantes. Trabalha na Baldo desde 1994. A participação dele será hoje, no Clube Comercial.

A Hora – A Baldo tem em sua essência a inovação. Como isso é feito no dia a dia?

Leandro Gheno – A inovação veio com o objetivo de nos manter no mercado. Hoje a Baldo é uma indústria de alimentos de soja e erva-mate. Com a erva-mate, tínhamos duas opções de mercado: o externo, na qual a Baldo já tinha a expertise, e o interno, da erva-mate tradicional. Em função da nossa expertise, optamos pelo mercado externo. Ao mesmo tempo, fomos compelidos a inovar nos processos e se adequar às novas exigências, seja do consumidor, seja das normas legais. No caso da erva-mate, foi o próprio mercado que nos levou a inovar e a melhorar os produtos, os processos e a eficiência. Na soja, isso se dá em função dos grandes players do mercado. A Baldo conseguiu se moldar e sobreviver se especializando, inovando, fazendo mudanças, em especial nos processos. Isso nos dá garantia e qualidade nos produtos, que entendemos seja a nossa maior força.

A Baldo é a maior exportadora de erva-mate do país. Como chegou a esse patamar?

Gheno – A história da Baldo é de quase 80 anos. Respeitar tudo o que foi feito no passado, esse é o ponto de partida. No segundo momento, exportávamos a matéria-prima base que se chama erva-mate cancheada, mas isso foi inicial. Depois nós procuramos evoluir e quando a maioria dos exportadores trabalhava com produto bruto nós já trabalhávamos com produto beneficiado. Esse foi o ponto que nos diferenciou. A escolha estratégica foi muito importante. Apostamos no que a gente já sabia fazer. Hoje o nosso mercado ainda é do produto chimarrão. A Baldo está botando um pé no mercado de chás de infusões, que é fundamental. Hoje 95% do nosso produto é exportado na forma de chimarrão com uma diversidade grande de embalagens.

Cada vez mais a erva-mate tem sido usada como matéria-prima para outros produtos. Como avalia essas diferentes formas
de consumo?

Gheno – Extremamente válida. Eu não tenho dúvida do grande potencial e abrangência do produto. Vejo que nós temos que melhorar a nossa cadeia produtiva, desde o produtor na colheita e no plantio, na chegada à indústria, nos processos.

Quais os novos projetos da empresa?

Gheno – Nosso grande projeto hoje na área de erva-mate é na linha de chás. Na de soja, a Baldo continua sempre fazendo uma evolução de seus processos e tentar dentro do mercado tentar se estabelecer como um produto diferenciado e de qualidade. Pretendemos também na linha da erva-mate colocar o nosso produto a disposição do consumidor brasileiro.

Qual o segredo para as empresas terem sucesso em um mercado tão competitivo?

Gheno – Os valores da empresa. Respeito ao consumidor e ao produtor, eficiência nos processos produtivos e responsabilidade naquilo que faz, com os nossos acionistas, funcionários e com a sociedade. Acreditar naquilo que faz e fazer isso realmente com determinação. Às vezes um pouco de sorte, em especial em um país como o nosso com tantas turbulências. Vejo os valores que o nosso diretor-presidente Arlindo Baldo nos passou A gente nunca abriu mão, em primeiro lugar, de entregar um produto de qualidade ao consumidor final e fizemos isso em alguns momentos com sacrifício financeiro.

 

Fonte Jornal A Hora

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...