Teutônia recebe sexta edição do Seminário Regional de Meliponicultura

O município recebe no próximo dia 23 de outubro, o VI Seminário Regional de Meliponicultura. O evento, que tem entre seus objetivos promover a troca de informações entre criadores de abelhas sem ferrão, ocorre no Colégio Teutônia, com início previsto para as 9h. Na ocasião serão diversas as palestras, com temas como: normatização da criação de abelhas sem ferrão; legalização da produção de mel de abelhas sem ferrão; associativismo e organização da atividade e papel das abelhas na natureza.

O assistente técnico regional em Apicultura e Meliponicultura da Emater/RS-Ascar, engenheiro agrônomo Paulo Conrad, ressalta que, durante o encontro, também serão realizadas oficinas técnicas sobre: confecção de iscas para captura de enxames; modelos de caixas para diferentes espécies; transferência de iscas para as caixas; alimentação de abelhas sem ferrão; divisão de trigonas e meliponas e colheita e processamento de mel. “O evento tem se consolidado como uma ótima oportunidade para aquisição de conhecimentos por parte dos interessados” observa Conrad.

Sobre a importância das abelhas sem ferrão para a natureza, Conrad garante serem fundamentais para a manutenção do meio ambiente. “Por serem polinizadoras, são muitas vezes elas as responsáveis pela reprodução das plantas”, ressalta. O agrônomo é otimista em relação à adoção da meliponicultura como um hobby e não como uma forma de obter retorno financeiro, exclusivamente. “A boa notícia é que os produtores têm buscado a criação de abelhas sem ferrão com a consciência de que se trata de um lazer e de uma forma de preservar as espécies”, diz.

Mais informações e inscrições podem ser feitas pelo e-mail emteoton@emater.tche.br ou pelo telefone (51) 3762-1313 até o dia 17 de outubro. O Seminário, itinerante, é promovido pela Emater/RS-Ascar, em parceria com a Prefeitura Municipal, Associação Teutoniense de Apicultores (ATA) e Associação de Meliponicultores do Vale do Alto Taquari (Amevat). O apoio é do Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor (Capa), Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR), Colégio Teutônia e cooperativas Languiru, Sicredi e Certel.

Primeiro seminário da Amevat

Desde que foi criada, em abril desse ano, essa será a primeira vez que a Amevat, que conta com mais de 50 integrantes e trabalha pela preservação das abelhas nativas sem ferrão, estará envolvida em um evento deste porte na região. A escolha de alguns dos temas do Seminário dialoga com um dos principais objetivos da entidade: trabalhar para a desburocratização das legislações vigentes. “Essa é uma forma de fazer com que o assunto tenha um alcance maior entre os adeptos”, explica Conrad. O trabalho da Amevat também visa a divulgar técnicas corretas de manejo, promover o intercâmbio entre produtores e realizar cursos, entre outros.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...