Tarde de Campo em Roca Sales debate manejo de pastagens perenes

O manejo de pastagens perenes para bovinos de leite foi o tema de uma Tarde de Campo realizada na sexta-feira, dia 11, em Roca Sales. O evento – parte do programa Leite Gaúcho, da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS) – foi realizado na propriedade do produtor Dirceu Horst, na localidade de Linha 21 de Abril. Na ocasião, um público de mais de 60 pessoas de diferentes municípios da região, obteve informações sobre o tema e também sobre silagem de sorgo e silagem de grão úmido de milho.

Para Horst, que trabalha como bovinocultor de leite há apenas três anos, a produtividade por vaca está diretamente relacionada à sua dieta. Para compor a alimentação de seu rebanho, utiliza cerca de 70% de pastagem do tipo capim áries, 25% de silagem e 5% de grão úmido ou farelo, o que garante o valor nutricional que refletirá na qualidade e também na quantidade do leite produzido. No começo, as poucas vacas que possuía não produziam mais de 10 litros de leite por dia, cada. “Hoje, as minhas 26 vacas em lactação rendem, em média, 20 litros de leite por dia, cada”, diz.

Como forma de organizar a alimentação dos bovinos possui, em sua propriedade de 17,7 hectares, mais de 50 piquetes, que também barateiam a produção. Mesmo com a maior parte do espaço reservada para o milho pra silagem, é por meio do sistema de piqueteamento que consegue organizar o espaço, tirando o melhor proveito de cada animal. Horst lembra o que aprendeu nas ocasiões em que participou de cursos e capacitações sobre o tema: “nunca devemos esquecer que as vacas são ruminantes e colocá-las no pasto é respeitar essa parte de sua natureza”, afirma.

Contente com o trabalho, o bovinocultor – que antes trabalhava em uma empresa de tecnologia – pretende ampliar a sua produção, nos próximos anos. Com o apoio da Lácteos Brasil (LBR) e da Emater/RS-Ascar, o objetivo é saltar dos cerca de 500 litros/dia atuais para 800 litros/dia. “Quando cheguei à propriedade, após a morte do meu pai, tudo o que havia por aqui era potreiro nativo”, recorda. Hoje são 40 animais entre novilhas e vacas, número que deve aumentar nos próximos anos.

Estação SDR

Uma das estações de trabalho, durante a tarde de campo de Roca Sales, contou com a participação do representante do programa Leite Gaúcho da SDR/RS, veterinário Ivandré Merlin Junior. Em sua fala, lembrou os produtores de que ainda há amplo espaço para ser ocupado pelos produtores de leite, uma vez que as indústrias gaúchas são capazes de processar, por dia, cerca de 16 milhões de litros de leite. “Só que hoje são produzidos 10,6 milhões de litros de leite por dia, havendo aí ampla capacidade na nossa indústria, o que representa uma grande oportunidade de crescimento para os bovinocultores”, disse. Também em sua fala, trouxe números do programa que vem sendo executado em todo o estado desde o início de 2012. “Em 2012, foram mais de 6 mil produtores capacitados em atividades de formação no RS, devendo este número ser quadruplicado até o final de 2014”.

Para o assistente técnico regional em Bovinocultura de Leite da Emater/RS-Ascar, Martin Schmachtenberg, eventos do tipo são importantes não apenas por aproximar os produtores dos programas que estão sendo executados pelo Governo, mas também por permitir a troca de experiências entre os envolvidos. “O público normalmente presta atenção quando um técnico ou extensionista fala, mas tem a sua atenção redobrada quando escuta o relato de outro produtor, o que o aproxima de sua realidade”, enfatizou. A atividade contou ainda com a participação de representantes da empresa Boqueirão.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...