Taquari investe em diversificação na produção de pepinos

Os produtores do interior do município iniciaram, na manhã da quarta-feira, dia 27 de novembro, mais um dia de distribuição de seu cultivo de pepinos. O transporte, garantido pela Administração Municipal, reúne a produção da cidade que é levada de Taquari até a cidade de Tupandi através da empresa de conservas Bom Princípio Alimentos, parceira da prefeitura e produtores. Ao todo, foram encaminhados 67 sacos do legume.

Por meio desta iniciativa implantada pela Administração Municipal, a agricultura familiar de Taquari recebeu uma nova alternativa de produção e renda. Uma parceria entre a empresa produtora de pepinos em conserva e agricultores taquarienses, com apoio da Secretaria da Agricultura e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/RS-Ascar), está se tornando o início do desenvolvimento de uma nova cultura em Taquari.

Viabilização do projeto foi discutida no início do ano

No dia 25 de abril, produtores rurais de Taquari se reuniram na sede da Associação dos Moradores de Amoras para discutir a possibilidade de firmar uma parceria com a empresa produtora de conservas de pepinos. Mais de 50 agricultores participaram do encontro, que contou com uma apresentação detalhada da empresa Bom Princípio Alimentos e muita conversa para tirar as dúvidas dos produtores.

A empresa parceira tem cerca de 120 funcionários. Segundo o engenheiro agrônomo e responsável pela produção e compra do pepino, Valdenir Bassotto, o objetivo da parceria é aumentar a produção de pepino em conserva. “Como já temos uma parceria com produtores de Montenegro, vimos como uma facilidade na questão do transporte investir mais nessa região. A empresa quer expandir e por isso buscamos um município interessado”, explica Valdenir. A Bom Princípio trabalha com doces de fruta, possui uma linha de leite e buscou na agricultura familiar de Taquari a parceria para ampliar a produção da conserva de pepino. De acordo com o engenheiro agrônomo da empresa, a produção está crescendo e a região tem grande potencial de investimento devido ao clima. “Para o produtor é uma complementação da renda familiar. Tem tudo para dar muito certo”, afirma.

A Prefeitura de Taquari fica responsável pelo transporte do pepino entre os produtores e a empresa fará o transporte de Taquari até Tupandi. A administração municipal também se prontificou a garantir subsídios para cobrir 50% dos gastos com o sistema de irrigação. Nos encontros realizados o secretário da Agricultura, Romacir Martins, também aproveitou para colocar a administração à disposição para fortificar ainda mais a agricultura familiar de Taquari. “Não podíamos perder uma oportunidade como esta de diversificar nossa produção”, afirmou Romacir.

Como funciona a produção do pepino?

Segundo o engenheiro agrônomo da Emater, Bruno Salvador, a estrutura necessária para o agricultor produzir pepino consiste em um sistema de irrigação por gotejamento, insumos de produção e estrutura de tutoramento das plantas, que é feito com palanques de madeira, fio de arame e fitilhos. A prefeitura custeia a fundo perdido 50% do gasto do sistema de irrigação, que pode também ser ampliado e utilizado para outras culturas da propriedade.

Chance para diversificar o plantio

A agricultora de 33 anos, Lizângela Fátima da Silva Nunes, planta fumo, milho, feijão, aipim e batata doce na sua propriedade em Amoras há 16 anos. Segundo ela, com a oportunidade da produção de pepinos, pretende diminuir a demanda de fumo e investir no legume, plantando cerca de três mil pés. “Gostei da oportunidade de aprender uma produção diferente. Estava em falta essa oportunidade para nós agricultores. Com essa chance que a Prefeitura e a Emater estão nos dando, não nos restringimos apenas ao fumo e à plantação de mato, que não dá um retorno muito saudável para a população. Resolvi apostar na produção de pepinos e estou bastante satisfeita”, afirmou.

Diálogo com a administração contribuiu para a produção de Cláudio

O produtor Cláudio Fuhr, de 50 anos, está há mais de dez anos atuando na área e afirma se sentir muito contente com a oportunidade. “Soube através da Emater que estava surgindo essa nova opção para os produtores. Esse diálogo direto conosco facilita muito. Além disso, achei uma maravilha esse incentivo que estamos ganhando. Estava faltando essa atenção e agora estamos recebendo”, comemorou.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...