Taquari é o município do Vale que mais utilizou programa de microcrédito

Quem está começando um empreendimento próprio, ou já o possui há algum tempo, tem em uma das grandes dificuldades a abertura de crédito para ampliar o seu trabalho. Para auxiliar esses microempreendedores, a Administração Municipal, em parceria com o Governo do Estado, realiza desde setembro de 2012 a concessão de crédito para pequenos empreendedores, possibilitando a eles uma linha de crédito mais acessível que as oferecidas em bancos comerciais. Até o momento, Taquari é o município do Vale do Taquari que mais utilizou o programa. Já foram realizados 423 contratos de créditos para empreendedores, tendo pessoas que já estão na terceira operação de crédito. O valor total injetado em microempresas do município até agora é de R$ 2.815.392,05.

De acordo com o supervisor de planejamento do programa em Taquari, Michael Sladek, existem alguns pré-requisitos para aderir ao programa, como possuir um empreendimento, sendo que não é necessário estar formalizado. “A financeira apenas exige que o empreendedor tenha pelo menos seis meses de atividade na área, o que é comprovado através das referências pessoais (pessoas que conhecem o empreendedor e confirmam que ele tem o negócio e há quanto tempo) e referências comerciais (fornecedores que a pessoa tem, dependendo de sua atividade). O período de atividade na área também pode ser comprovado através das notas de entrada do empreendedor”, explica Michael.

A confeiteira Nilza Maria de Oliveira, moradora do Bairro Leo Alvim Faller, aproveitou o programa para investir em seu negócio e retirou um valor de R$ 4 mil para aquisição de novos equipamentos. “Foi muito bom, consegui comprar novos materiais para minha cozinha”, disse. Nilza tem o ponto alto de sua produção durante a Páscoa, quando há um crescimento nas encomendas de chocolate. Já nas festas de fim de ano ela faz doces para uma padaria da cidade. “Durante a páscoa eu ainda conto com a ajuda minha filha”, falou.

A doceira vê vantagens na obtenção deste tipo de financiamento. “Eu sempre recomendo para quem quer iniciar o seu próprio negócio. O juro é baixo, vale a pena”, argumentou. Nilza ainda pretende requerer novo crédito assim que pagar o atual. “Queremos comprar uma derretedeira de chocolate, daí vamos utilizar o crédito novamente”, finalizou.

Programa Gaúcho de Microcrédito

Os beneficiados do Programa Gaúcho de Microcrédito (PGM) são pessoas que trabalham por conta própria, empreendedores individuais ou reunidos em grupos solidários que atuam nos setores informal ou formal da economia. O PGM também facilita o acesso ao crédito às pessoas de perfil empreendedor que tenham interesse em iniciar uma atividade produtiva, através dos bancos comunitários. As iniciativas podem ser agrupadas, conforme o setor em que os clientes atuam:

  • Indústria: Marcenarias, sapatarias, carpintarias, artesanatos, alfaiatarias, gráficas, padarias, produções de alimentos, entre outros;
  • Comércio: Ambulantes, vendedores em geral, mercadinhos, papelarias, armarinhos, bazares, farmácias, armazéns, restaurantes, lanchonetes, feirantes, pequenos lojistas, açougueiros, vendedores de cosméticos, entre outros;
  • Serviços: Salões de beleza, oficinas mecânicas, borracharias, entre outros.

Os contemplados pelo PGM devem exercer atividades produtivas de pequeno porte e cujo faturamento bruto não ultrapasse R$ 120 mil anuais.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...