Simpósio do Leite aborda sanidade e qualidade da produção

O V Simpósio da Cadeia Produtiva do Leite foi uma das principais atrações da programação da 5ª FestLeite, na sexta-feria, dia 25. O evento contou com a presença de mais de 300 estudantes, pesquisadores, técnicos e produtores, que acompanharam explanações sobre as mais diversas áreas ligadas à produção leiteira. Na oportunidade, o coordenador da Câmara Setorial do Leite, João Milton Cunha, falou dos programas que o Estado oferece para o leite, com destaque para o Programa de Desenvolvimento da Cadeia do Leite (Prodeleite), Fundo de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite do Rio Grande do Sul (Fundoleite) e Instituto Gaúcho do Leite (IGL).

De acordo com Cunha, os programas tem a finalidade de promover o regramento da cadeia. “No caso do Prodeleite, o trabalho é baseado em alguns pilares, como forma de organizamos a cadeia, entre estes pontos estão sanidade animal, qualidade do leite, genética, alimentação do rebanho e gestão do estabelecimento rural”, afirma. Segundo ele, esse programa é subsidiado pelo Fundoleite, que arrecada um pequeno valor por litro vendido e faz o repasse de 98% desta arrecadação para ações de fomento da atividade no Estado.

O Simpósio contou, ainda, com cinco palestras, sendo elas “Demanda do mercado consumidor de leite”, com o médico veterinário, Carlos Alberto Freitas; “Melhoramento genético”, com o médico veterinário, Ricardo de Oliveira; “Criação de terneiras e análise de novas estratégias”, ministrada pelo médico veterinário, Ignácio Dodera; “Aumento da produtividade com bem estar animal, diversificação rural e sistemas agrossilvipastoris, com o engenheiro-agrônomo, Pedro Francio Filho; e “Multiplicação genética de bovinos por embriões”, ministrado pelo médico veterinário, doutor em reprodução animal e pós-doutor em biotecnologia da reprodução, Carlos Antônio Fernandes. Além de cases de produção de sucesso.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...