Sicredi VT orienta para prevenção de golpes e fraudes bancárias

Preocupada com a segurança de seus associados e da comunidade em geral, a Sicredi Vale do Taquari orienta para prejuízos financeiros provocados por golpes e fraudes que envolvem transações de valores na rede bancária, e por isso esclarece sobre possíveis abordagens e quais os verdadeiros procedimentos das instituições. Seja por meio digital, contato telefônico ou pessoalmente, a maioria das práticas criminosas exploram a vulnerabilidade das pessoas, que são manipuladas a compartilhar informações sigilosas ou efetuar operações equivocadamente, o que torna indispensável a atenção e a desconfiança com determinadas ações. “As ocorrências na nossa região têm aumentado bastante e é fundamental que as pessoas estejam cada vez mais preocupadas com a segurança das suas informações”, alerta o analista de controles internos da cooperativa, Odair Thomas.

Mais comuns atualmente, as fraudes eletrônicas são as que geram maiores perdas. Através de mensagens via SMS, os golpistas enviam um link para atualização de dados, inclusive ameaçando com penalizações e perdas de benefícios. Preocupado com o suposto risco, o correntista conecta a página através do aplicativo móvel ou computador e acaba fornecendo o número da conta e senha. Thomas explica que o Sicredi não envia qualquer tipo de link solicitando atualizações e que as únicas mensagens encaminhadas são de avisos gerais, comunicação institucional e informações de movimentações quando autorizadas pelo associado. De forma alguma são solicitados acesso a links, dados pessoais ou senhas, seja por telefone, e-mail ou smartphone. Na dúvida, é preferível que se entre em contato com a agência antes de efetuar qualquer operação.

O meio digital também é utilizado para o golpe dos boletos falsos, o qual emite duplicatas destinadas a criminosos. Assim, Thomas orienta que, sempre que for necessária a obtenção de uma segunda via, se digite o endereço da instituição na barra de navegação, pois os sites de busca podem direcionar para páginas falsas. É preciso atenção também com os boletos recebidos por e-mail. Daí a importância de se verificar os dados do emitente antes de se efetuar o pagamento.

Por telefone vem os golpes pedindo transferências bancárias, como o falso sequestro ou o carro quebrado. Os bandidos ligam dizendo que sequestraram algum familiar ou se identificam como um conhecido que está com o carro quebrado em alguma rodovia, solicitando que a pessoa deposite dinheiro em uma determinada conta bancária. Thomas aconselha que se contorne a situação realizando perguntas relacionadas às características da suposta vítima e, em seguida, desligue o telefone, contatando imediatamente a pessoa ou alguém próximo a ela. Constatada a tentativa de golpe, é fundamental que se anote as informações para repassar à polícia.

Da mesma forma, é importante que se esteja atento para o golpe do bilhete premiado, geralmente aplicado aos mais idosos, por meio do qual se vende um suposto bilhete premiado por um valor abaixo do que ele realmente valeria, ato justificado por algum impedimento para o saque. “A pessoa tem que ter um pouco de cuidado. Ninguém vai vender bilhete premiado. Isso não existe”, menciona Thomas.

Atenção para envelope vazio, cartões e sites falsos

Há ainda o golpe do envelope vazio, cujo comprovante informa um repasse via caixa eletrônico. De posse desse documento, ocorre a liberação de valores ou mercadorias, antes da conferência da transação pela instituição financeira. O analista orienta: “O pessoal tem que ter essa precaução. Antes de realizar qualquer tipo de operação, validar ou esperar efetivar o depósito. É importante que o associado pelo menos consulte a conta antes de fazer qualquer movimentação”.

Quanto a cartões, Thomas lembra que a senha não deve ser repassada a outra pessoa ou armazenada próximo ao cartão. Sempre que constatard

o extravio ou que se tenha suspeita de fraude, o correntista deve contatar a administradora imediatamente, solicitando seu bloqueio. A Sicredi inclusive oferece um serviço de comunicação de transações via SMS, com o qual é possível monitorar as movimentações. Tal facilidade deve ser solicitada junto ao gerente da conta.

Outros cuidados também são importantes, como desconfiar quando houver muitas vantagens e atentar para a URL dos sites que envolvem transações financeiras, os quais podem parecer idênticos a um legítimo, mas utilizam uma variação na grafia ou um domínio diferente. Sempre que as movimentações envolverem a internet, deve se evitar o acesso por meio de redes abertas e públicas, além de manter os dispositivos com antivírus atualizado. Todas as suspeitas de fraude ou golpe devem ser comunicadas ao gerente da conta e posteriormente reportadas à polícia, inclusive as informações referentes às contas informadas para depósito e os nomes, através das quais é possível se chegar aos golpistas e fraudadores receptores dos valores. Thomas reforça: “Nunca forneça dados pessoais por telefone, e-mail ou redes sociais”, lembrando que a cooperativa possui canais de atendimento que facilitam e geram comodidade para realização das transações financeiras e que podem ser utilizados tranquilamente seguindo as dicas de segurança.

 

Fonte Simone Rockenbach

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...