Sicredi Integração RS/MG reúne associados em encontro do Programa Crescer

Cerca de 30 associados da agência do Centro de Lajeado se reuniram na terça-feira (18) à noite no auditório da Sicredi Integração RS/MG. O grupo participou de mais um encontro do Programa Crescer, que busca difundir a cultura da cooperação e inteirar sobre a atuação e os principais resultados da cooperativa de crédito, poupança e investimento. No último dia 13, a atividade também ocorreu em Forquetinha, reunindo dezenas de associados da comunidade. O roteiro tem sequência programada com os associados de Boqueirão do Leão (26/09), Canudos do Vale (28/09), Santa Clara do Sul (02/10), das agências do São Cristóvão, Univates, Florestal e Conventos de Lajeado (04/10), Progresso (18/10), Mato Leitão (8/11) e Cruzeiro do Sul (27/11).

O presidente da Sicredi Integração RS/MG, Adilson Metz, explanou sobre a importância do cooperativismo e como o Sicredi leva esse conceito à vida das pessoas. Apresentou dados sobre a atuação nacional e como está organizada em âmbito regional, seus fundos garantidores e a estrutura, que hoje compreende mais de 52 mil associados, somava mais R$ 175 milhões de patrimônio em 2017 e administrou mais R$ 1,3 bilhão de ativos no período. Metz ainda citou projetos de investimentos, como o Sicredi Empresas e a nova agência do Centro de Lajeado, além do andamento da expansão para Minas Gerais. Por fim, colocou-se à disposição dos associados. “Preparamos um resumo para explicar o funcionamento do Sicredi e tirar todas as dúvidas. O tempo acaba sendo limitado, mas estamos sempre à disposição. Não sendo informações de sigilo bancário, esclarecemos tudo com a maior transparência possível”, destacou.

Buscando apresentar soluções em produtos e serviços, a gerente da agência do Centro de Lajeado, Liviane Bald, falou sobre o cenário econômico e de que forma a Sicredi Integração RS/MG pode contribuir com a maior rentabilidade do dinheiro dos associados. A principal recomendação é diversificar, aplicando em poupança, fundos de investimento, CDB (Certificado de Depósitos Bancários) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio). “Esses produtos têm uma rentabilidade diferente, dependendo da liquidez dela. Ou seja, a aplicação que vou deixar com carência de dois anos vai ter uma rentabilidade maior do que uma poupança, que tem liquidez diária”, disse. Ela ainda comentou que a definição sobre as melhores opções deve levar em conta caso a caso. “Temos que avaliar o perfil de cada pessoa, para então elencar onde colocar o dinheiro, vendo sugestões de cenários para os conservadores e também para aqueles mais arrojados”. 

Fonte Simone Rockenbach

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...