Setor moveleiro -Projeto de desenvolvimento prevê investimento de R$ 440,5 mil

Iniciativa beneficia 25 empresas de Teutônia e municípios vizinhos. Selo deverá atestar a qualidade dos móveis

Melhorar os processos produtivos e ampliar o mercado de atuação das indústrias moveleiras de Teutônia e do Vale do Taquari. Esse é o principal objetivo de projeto desenvolvido por meio de parceria entre a CIC Teutônia, a Administração Municipal de Teutônia, a Sicredi Ouro Branco, o Sebrae e o Sinduscom/VT. O Projeto Moveleiro de Teutônia e Região 2018-2019 foi apresentado oficialmente na noite de 31 de janeiro, durante evento gratuito na CIC. Na oportunidade também ocorreu a palestra “Estratégias inteligentes – transforme dificuldades em vendas”, com o consultor Ricardo Lemos.

Novos tempos

A gestora de projetos do Sebrae, Cláudia Regina Kuhn, detalhou a proposta e trouxe números do setor moveleiro, com mapa para o Estado e o Vale do Taquari. “O setor moveleiro, especificamente as marcenarias, representa 2.750 CNPJs no Rio Grande do Sul. Entre esses, os dez municípios mais expressivos em número de empresas estão na Serra, com 883, enquanto que na capital estão 506 e no Vale do Taquari são 307 CNPJs. Somente em Teutônia, estão registradas 26 empresas. Por meio deste projeto, almejamos novos e melhores tempos para a indústria moveleira de Teutônia e região”, frisou.

O Sebrae realizou o mapeamento do setor. Entre outras constatações, identificou entre as principais dificuldades, a falta de processos definidos, a concorrência com a informalidade e grandes indústrias, clientes cautelosos, o alto nível de envolvimento dos empresários nas operações, os elevados custos de produção, a desunião e baixa cooperação do setor, a falta de estratégias comerciais e a falta de tempo para a gestão.

Paralelamente às dificuldades, também foram identificadas oportunidades. “O Vale do Taquari possui um polo moveleiro. O projeto terá duração de dois anos, com a possibilidade de ser estendido. O foco estratégico está na otimização dos processos produtivos, na redução de custos, no aumento da produtividade, na capacitação das empresas com técnicas de prospecção e fechamento de vendas para ampliação de negócios, gestão com indicadores de desempenho e controles empresariais”, apresentou Cláudia.

Num primeiro momento o Sebrae irá selecionar 25 micro e pequenas empresas do setor moveleiro de Teutônia, cujo pré-requisito é que sejam associadas ao Sicredi Ouro Branco e ao Sinduscom/VT.

Ações

Entre as ações propostas pelo projeto estão o diagnóstico empresarial especializado com visita de especialistas do Sebrae; consultorias de indicadores de desempenho, de custos na produção, em marketing e de processos produtivos; geração de negócios; apoio a feiras; rodadas de negócio; missões estaduais; missões interestaduais; e articulação institucional.

O projeto prevê investimento de cerca de R$ 440,5 mil ao longo de dois anos. Desse montante, o Sebrae aporta R$ 270,5 mil, o Sicredi R$ 77 mil, o Sinduscom/VT R$ 25 mil e as 25 empresas participantes R$ 68 mil. Para participar, cada empresa investe R$ 1.360,00 por ano de projeto, parcelados em seis vezes em cada exercício.

Após o processo de seleção das empresas, ocorre a primeira reunião de trabalho entre os envolvidos. A continuidade será com encontros pré-agendados, com treinamentos e consultorias nas empresas.

Parceria

O presidente da CIC Teutônia, Renato Scheffler, enalteceu a importância da união de esforços para o desenvolvimento da economia local e regional. “Muitas dificuldades são comuns às empresas do mesmo setor e, com as parcerias, podemos evoluir juntos”, frisou, mencionando eventos setoriais de sucesso, como o Feirão de Veículos Seminovos e o Feirão do Comércio de Teutônia.

O prefeito de Teutônia, Jonatan Brönstrup, se disse otimista com a proposta. “Tenho a convicção de que iniciamos um processo de novo entusiasmo para superar desafios. Precisamos buscar cada vez mais essa aproximação com os empresários. Isso permitirá o reconhecimento da qualidade dos móveis produzidos em Teutônia, que vem buscando seu espaço”, afirmou, apresentando selo que deverá identificar a produção moveleira local.

O diretor de negócios da Sicredi Ouro Branco, Jairo Sperotto, parabenizou pela iniciativa. “É um projeto de extrema relevância, que possibilita repensar ações e atitudes nas nossas empresas, é um exemplo real de cooperação que vai ao encontro da nossa missão de melhorar a qualidade de vida da comunidade”, afirmou.

O diretor moveleiro do Sinduscom/VT, Fernando Schuh, falou de oportunidades. “O trabalho em parceria fortalece o setor moveleiro como um todo, com oportunidades imensas em gestão e redução de custo efetivo, com consequente aumento real de produtividade. Estamos dando um passo importante e fazendo a diferença”, disse.

A gerente do Sebrae Regional Vales do Taquari e Rio Pardo, Liane Klein, destacou a importância do Vale do Taquari para o ramo. “Hoje, somos o segundo polo moveleiro no Rio Grande do Sul em número de empresas, atrás apenas da Serra gaúcha. É um setor com grande geração de emprego e renda”, enumerou, lembrando processo de desenvolvimento da proposta e seus benefícios às empresas participantes.

Estratégias

Na palestra “Estratégias inteligentes – transforme dificuldades em vendas”, o consultor Ricardo Lemos foi enfático: profissionais vencedores praticam o que aprendem. “Seja dono dos seus pensamentos, adapte-se ao que muda e ao que não muda, busque novas influências, reveja critérios das suas escolhas, evite a zona do anti óbvio e desenvolva critérios de escolhas, ‘semeando’ vendas todos os dias. Está na hora de reagir. Se alguém foi capaz de fazer, você também é”, sugeriu.

                Para Lemos, todo sacrifício deve valer a pena, todo empenho deve gerar resultado. “Se você está correndo atrás do lucro, está correndo no lugar errado. É preciso correr atrás do resultado”, concluiu, dando diferentes dicas aos empresários do setor moveleiro presentes ao evento.

Fonte Leandro Augusto Hamester

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...