Seminário em Encantado debate importância da reservação e dos usos múltiplos da água

A Emater/RS-Ascar, em parceria com a prefeitura de Encantado, realizou nesta segunda-feira, dia 24, no Auditório Brasil, um seminário para debater a importância da reservação e dos usos múltiplos da água. O evento contou com a participação de cerca de 80 agricultores do Vale do Taquari beneficiados pelo programa Irrigando a Agricultura Familar da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS). Na ocasião foram realizadas palestras com temas como, responsabilidade ambiental, qualidade da água para a piscicultura e para o meio ambiente e reservação de água e filtragem.

Entre os participantes, o agricultor Jonas André Morari, de Travesseiro, possui, em sua propriedade, uma cisterna para a reservação de 180 mil litros de água. Produtor de suínos, utiliza cerca de seis mil litros do líquido ao dia para a dessedentação dos 500 leitões que mantém em uma creche, criados por meio de sistema de integração. “Apesar da abundância de chuvas, sempre é bom pensar nos períodos de escassez que possam ocorrer”, analisa Morari. Fora o uso na suinocultura, a água também é importante para manter irrigadas a horta e o pomar que são utilizados para o consumo da família.

Por meio do programa do Governo do Estado, o agricultor precisou investir apenas R$ 1.090 para a construção da cisterna, que tem o custo total de R$ 10.900. A água é retirada de uma vertente localizada próxima a propriedade. “Tenho o sistema há apenas quatro meses e hoje tenho mais segurança para produzir, com a garantia de que não faltará água, mesmo que fique sem chuvas durante um mês”, exemplifica. Nesse sentido, Morari valoriza o investimento feito. “Já houve períodos de estiagem em que precisei caminhar longas distâncias para garantir a água para a manutenção da propriedade”, recorda.

O produtor Mauro Gilberto Soares, da localidade de Linha Lotes, em Cruzeiro do Sul, também preocupa-se com a reservação da água. Os dois açudes que mantém na propriedade, garantem a dessedentação dos suínos e gados de corte que cria no local. “Somando os usos para o pomar e para a horta chego a utilizar cerca de cinco mil litros por dia”, ressalta. Apesar da abundância de chuvas ocorridas durante o ano, Soares acredita ser importante pensar na manutenção de líquido. “Nem as abelhas são capazes de produzir mel se o tempo está seco demais”, observa o agricultor.

Um dos palestrantes, o supervisor regional da Emater/RS-Ascar, Paulo Rodrigues, lembrou que cada pessoa consome, em média, cerca de 200 litros de água ao dia. “Multiplique-se esse número por mais de 200 milhões de habitantes que temos no Brasil e teremos uma dimensão da importância da captação e do reservamento do líquido”, salienta. Para Rodrigues, essa deve ser uma das maiores prioridades do homem já que, para o futuro, algumas projeções indicam que mais de 65% da população mundial será afetada pela escassez da água. “Com 1.700mm de chuva ao ano que possuímos no Estado, em média, se torna fundamental a reservação”, diz.

O assistente técnico regional em Irrigação da Emater/RS-Ascar, Ricardo Martins, ressalta que, desde o ano de 2012, foram realizados nos 55 municípios dos vales do Caí e Taquari – e que compõem o Regional de Lajeado – 83 projetos de irrigação, além de 162 projetos de cisternas e 267 de microaçudes. “Fora os outros tantos projetos realizados por meio de convênio com as prefeituras e os financiados pelo Feaper (Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento de Pequenos Estabelecimentos Rurais)”, lembra. Os investimentos ultrapassam os R$ 3 milhões.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...