Sem previsão de vagas temporárias

O período que antecede o Natal, no comércio, costuma ser propício para quem busca um emprego. Foi assim para Darli Rabaiolli (54), vendedora de uma loja de confecções de Lajeado. Graças a uma vaga temporária, em novembro do ano passado, ela encontrou trabalho e hoje está efetivada. “Se nos esforçamos e mostramos o melhor, conseguimos”. No entanto, exemplos como o de Darli poderão não se repetir em 2015.

As instabilidades econômica e política têm afetado os negócios do varejo. “A contratação temporária vai ser a mínima possível. As empresas vão tentar segurar os gastos, não aumentar a folha, pois as vendas não têm expectativa de crescimento”, comenta o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Lajeado, Daniel Dullius. Para ele, a situação poderá beneficiar vendedores comissionados e aqueles que fazem horas extras. Ainda lembra que as empresas devem investir em promoções atrativas e publicidade. “As melhores vão se sobressair.”

O mesmo entendimento tem o presidente do Sindicato dos Comerciários de Lajeado (Sindicomerciários), Marco Daniel Rockenbach. “Se crescer as contratações no período natalino, será entre entre 2% e 3%”, prevê. Conforme ele, após um época de baixa nos quadros de funcionários, a partir de agora as empresas vão evitar demissões. No primeiro semestre, houve 166, e, para o segundo, a projeção é ainda maior em função do fechamento, em julho e agosto, de lojas ligadas a redes de supermercados, confecções e eletrodomésticos. Na visão de Rockenbach, o momento também serve para refletir. “Comprava-se de uma maneira mais afoita. Agora, é um momento de cautela, mas ninguém deixará de consumir”, avalia.

Pesquisa do Sindilojas evidencia cenário

O Sindilojas Vale do Taquari, sindicato patronal do varejo, desenvolve uma pesquisa para saber, entre outras questões, a previsão de contratação das empresas para o fim do ano. E o resultado parcial não é animador. Dos 117 empreendimentos entrevistados, até ontem (2), pela Ação Vendas Inteligência Comercial, 89 não pretendem admitir funcionários para o período. Apenas 17 estabelecimentos têm o objetivo e oferecerão, no total, 38 vagas. “O movimento não está refletindo para contratar. É trabalhar com a equipe que se tem para não aumentar gastos. A economia não está motivando para isso”, observa o presidente do Sindilojas Vale do Taquari, Giraldo Sandri.

Entre os poucos estabelecimentos comerciais de Lajeado que irão aumentar seu quadro de pessoal está a Empório, do ramo de confecções. A previsão é empregar temporariamente quatro pessoas nas duas lojas. No ano passado, foram seis. “O cenário não está tão favorável, e as empresas têm dificuldade de contratar, pois falta mão de obra com o perfil desejado”, ressalta o proprietário, Egon Müller. Todos os anos, cerca de 50% dos contratados da Empório são efetivados. “Temos que ser otimistas. Repensar a empresa e fazer o melhor para ela. Sempre depois de um tempo ruim, vem o tempo bom”, acredita Müller.

Saiba mais

Atualmente, não há vagas temporárias na agência da Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS)/Sistema Nacional de Emprego (Sine) de Lajeado. Segundo o coordenador, Oilquer dos Santos, representantes do órgão irão procurar a CDL Lajeado para fazer uma reunião, a fim de buscar oportunidades entre os empresários.

  1. Não fique esperando as oportunidades caírem do céu. Em tempos de mercado altamente competitivo, precisamos demonstrar interesse em trabalhar.
  2. Mostre disponibilidade, em épocas de “temporada”, as empresas precisam de profissionais com disponibilidade de horário, visto os possíveis horários estendidos que podem surgir. Candidatos que impõem limitação de horário, normalmente não são selecionados.
  3. Dinamismo. Nos momentos em que há redução de funcionários, aqueles que conseguem exercer atividades simultâneas, levam vantagem em processo de seleção.
  4. Fique por dentro do que está acontecendo no Brasil e no mundo. Pessoas bem informadas agradam aos recrutadores, sinal de que, mesmo em épocas difíceis, você tem tempo para ler um jornal ou revista.
  5. Pessoas mau humoradas, que estão sempre reclamando de tudo, que só apresentam problemas ao invés de soluções, estas, nem em épocas de “vacas gordas” eram bem vistas. Hoje então…
  6. Para quem ainda não se qualificou, ainda dá tempo. Hoje existem, inclusive, oportunidades de cursos de qualificação grátis, que podem agregar muito no seu currículo.
  7. Quando for chamado para uma entrevista, evite atrasos.
  8. Redes sociais são uma ótima fonte de informação sobre vagas de emprego na região. Fique de olho.
  9. Redes sociais são uma ótima fonte de informação sobre você. Então cuidado com as postagens que faz e as fotos que publica. Provavelmente alguém lhe observará antes de uma entrevista.
  10. Por fim, além de simpatia, otimismo e boa educação que devem sempre fazer parte do seu dia a dia, resta-nos apenas lhe desejar boa sorte.
  11. E lembre-se, apesar desta crise, vale salientar que, bons candidatos sempre terão portas abertas, afinal, quem não quer um colaborador de excelência trabalhando na sua empresa?

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...