Roubos violentos fazem Taquari pedir socorro por mais segurança

Depois de pelo menos dois crimes assustarem os moradores do município de 27 mil habitantes neste mês, prefeito e entidade empresarial exigem aumento no policiamento das ruas

Desde a manhã de segunda-feira (20), o assunto principal nas ruas centrais de Taquari, município com 27 mil habitantes, é o assalto que teve como alvo uma padaria por volta das 7h30min. Homens armados com revólveres levaram o dinheiro do caixa e, diferentemente de tudo o que já foi visto no pequeno município do Vale do Taquari, levaram a proprietária como refém. Naquele momento, apenas um policial militar estava responsável pelo patrulhamento das ruas da cidade.
A comerciante foi liberada sem ferimentos cerca de duas horas depois, na zona norte de Porto Alegre. A Delegacia da Polícia Civil de Taquari investiga o crime a partir das características dos bandidos descritas por testemunhas. Eles levaram os equipamentos que teriam registrado imagens do roubo.— Foi a gota d’água de uma situação que já estamos vivendo há cerca de um ano. Achávamos que já tínhamos chegado ao ápice no começo do mês, quando aconteceu um roubo a banco com reféns, mas a vida dos nossos cidadãos segue em risco — desabafou o prefeito Emanuel Hassen de Jesus (PT), em entrevista ao programa Atualidade, da Rádio Gaúcha, na manhã desta terça-feira (21).
Conforme o prefeito, a companhia da Brigada Militar que atua em Taquari conta com apenas 16 PMs. A cada turno, são apenas dois dedicados ao patrulhamento local.
— Há oito anos, chegamos a ter o dobro de policiais — garante o prefeito.
LEIA MAIS

Polícia tenta identificar grupo que sequestrou dona de mercado em Taquari
Grupo faz cordão humano e explode agência bancária em TaquariGrupo faz cordão humano e explode agência bancária em Taquari
Governo do RS propõe parceria com os municípios na área de segurança
Uma semana atrás, uma caminhada reuniu cerca de 500 pessoas pedindo mais segurança. Um abaixo-assinado e uma audiência pública sobre segurança também aconteceram para reforçar o pedido da prefeitura à SSP para que mais policiais militares sejam destinados à cidade.
O prefeito, com o apoio da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Taquari, pleiteia a inclusão do município no programa Segurança Integrada com os Municípios (SIM), da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Um projeto já foi entregue ao órgão estadual, prevendo a instalação, inclusive, de 18 câmeras de monitoramento a serem custeadas pelos lojistas.
— O que buscamos é a sensação de segurança. É claro que as câmeras não resolverão o problema por si só, mas ajudam. Eu e outros comerciantes que trabalhamos à noite vivemos um pesadelo, porque nunca sabemos o que pode acontecer — desabafa o presidente da CDL Taquari, Maicon Costa.
Foi assim na madrugada de 3 de novembro, em uma das principais avenidas do município. Um grupo de quatro criminosos armados com fuzis e pistolas atacou a agência da Caixa Econômica Federal. Depois de renderem os frequentadores de uma lancheria que fica ao lado do banco, os mantiveram como um cordão humano enquanto explodiam caixas eletrônicos. Conforme a Polícia Federal, três equipamentos foram destruídos antes que o bando fugisse em uma Blazer preta.
Este foi o terceiro caso de ataque a caixas eletrônicos no município desde o final do ano passado.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...