Rodaika destaca a importância da empatia para comunicar-se com o mercado em RA na Acil

Lajeado – “Vai sobreviver no mundo digital quem produzir conteúdo de qualidade, que for relevante, que trouxer algo a mais e fazer diferença na vida das pessoas.” A afirmação foi feita pela jornalista e radialista Rodaika Dienstbach que palestrou na reunião-almoço (RA) desta terça-feira (19.03) promovida pela Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil) e Fórum da Mulher Empresária da Acil. A exposição, intitulada “A importância da comunicação para o sucesso de marcas, produtos e serviços”, teve a presença de mais de 120 lideranças empresariais, comunitárias e políticas.

 

História

Nascida nos anos de 1970, no auge da comunicação, Rodaika iniciou a palestra relembrando que foi uma criança muito comunicativa e que sua maior distração na infância era a televisão. “Cresci com uma vontade muito grande de trabalhar na caixinha mágica. É um privilégio quando a gente cresce trabalhando em um propósito. Minha vida foi assim, sempre tive vontade de trabalhar na área de comunicação e a televisão é o meu grande encantamento” afirmou.

A jornalista contou que, quando começou a exercer a profissão, não existiam computadores, internet ou celular. As notícias eram obtidas através de telefone com fio e escritas em máquina de escrever. “Tive o privilégio, dentro da minha carreira, de vivenciar essa transformação gigantesca que aconteceu na comunicação.”

Impulsionada pela maternidade ainda muito jovem, sentiu-se na obrigação de resolver sua vida e buscar um trabalho. “Cresci com esse sonho e busquei realizá-lo. A experiência de ser mãe cedo acabou colocando-me no caminho que eu queria muito, só que antes do que imaginava.”

Rodaika começou a trabalhar na RBS aos 19 anos, através da participação no concurso “Caras Novas” que consistiu numa seleção com alunos de universidades. Também participou de outro concurso interno da emissora, sendo escolhida para ser repórter e trabalhar inicialmente em Pelotas.

 

Mudança

Atuou como apresentadora, repórter, editora e diretora em diversos programas. Na internet, passou a fazer produção de conteúdo em suas redes sociais e trabalhar na criação e execução de ações de marketing para empresas, produtos e serviços.

Juntamente com a família, Rodaika mudou-se para Orlando, nos Estados Unidos, para realizar um sonho e ter a experiência de viver em um lugar diferente. Queria proporcionar aos filhos a oportunidade de estudar fora e, ao mesmo tempo, continuar atuando no mercado de trabalho de comunicação. “Foram dois anos de planejamento; organizamos a vidas dos nossos filhos e nossa vida financeira e profissional. É uma experiência difícil de viver, apesar de ser prazerosa. É graças às facilidades proporcionadas pela tecnologia na comunicação que hoje que tudo isso é possível.”

 

Empatia

Informou que, recentemente, em evento nos Estados Unidos, chamado South by Southwest (SXSW), foi enfatizado o fim das redes sociais como as pessoas conhecem. Atualmente, é possível ver muito conteúdo através de postagens via feed e stories. As pessoas estão selecionando mais o que querem ver. “Cada vez as coisas são mais irrelevantes e a quantidade está sobrepujando a qualidade,” enfatizou.

Rodaika explicou que, para empresas e profissionais liberais, o desafio é grande, pois precisam de orientação. “Eu costumo colocar em prática uma coisa que eu acredito, que prá mim é a fórmula de tudo que fiz na minha vida – a empatia. O meu propósito de comunicação sempre foi marcado por isso. Em cada trabalho, procuro me colocar como receptor ou cliente.”

 

Reinventar-se

Para Rodaika, o jeito e a forma de comunicar devem ser revistos. “Tenho percebido a movimentação das empresas que acompanho nos Estados Unidos. Elas entenderam que precisam muito mais dos clientes do que os clientes precisam delas. Percebem que precisam mais se mostrar iguais aos clientes do que querer que os clientes sejam iguais a elas. Elas devem conquistar os clientes, comunicando a diferença que fazem naquele meio; pois, caso contrário, sempre vão perder para a concorrente.”

Após sua apresentação, Rodaika, acompanhada da presidente da Acil, Aline Eggers Bagatini, e de Giselda Hahn, uma das coordenadoras do Fórum da Mulher Empresária da Acil, respondeu às perguntas dos participantes.

 

Realização

As RA de 2019 da Acil têm o apoio de Bebidas Fruki, BRDE, Dalva Pohren Serviços Contábeis, Excellence Garçons, Invictos Ar Condicionados e Refrigeração, Lyall Construtora e Incorporadora, Olicenter, Planus Arquitetura e Sicoob Meridional e Star Som, Luz e Imagem.

 

Fonte Imprensa Acil

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...