Reload Sindilojas: Cerca de 800 pessoas recarregam ideias

Lajeado – O fim da tarde e a noite da última quinta-feira, dia 25, foram períodos aproveitados por cerca de 800 pessoas para recarregar ideias, motivar mudanças e prever ações. Esses foram os objetivos do Reload Sindilojas, evento de capacitação inédito promovido pelo Sindilojas Vale do Taquari. O Clube Sete de Setembro, em Lajeado, reuniu empresários, gestores e colaboradores de todo o Vale do Taquari, atuantes nos segmentos de comércio e serviços. Por meio de duas palestras, eles conheceram o comportamento da nova classe média brasileira e souberam por que tanto em âmbito pessoal como corporativo “Mais ou menos, é menos”.

O presidente do Sindilojas, Marcos André Mallmann, destacou as bandeiras defendidas pela entidade, com vistas ao fortalecimento da atividade empresarial, e os entraves que afetam seu crescimento. “O Reload é o resultado deste nosso trabalho, e o tema do evento (Nada muda se você não muda), é o retrato do que tem ocorrido em toda a economia. Sem mudanças, os nossos clientes vão realizar seus sonhos em outras empresas”, enfatiza. Prefeito de Lajeado, Luís Fernando Schmidt falou sobre a importância do varejo à cidade e expos sua visão em relação à velocidade das mudanças, que “deve estar junto com aquela ansiedade natural de querer fazer as coisas”. Para ele, renovar é importante, mas entende que é necessário preservar o que foi feito no passado.

A palestra da tarde foi direcionada aos profissionais ligados à gestão dos negócios. O consultor empresarial André Torretta falou sobre a constituição, desejos e projeções da classe média no Brasil. “Todo mundo agora pode ter tudo. Temos uma classe média diferente da americana e da Europa”, ressalta. Atualmente, 55% da população brasileira estão neste patamar, pois têm renda familiar entre R$ 1, 1mil e R$ 5,2 mil por mês. “Não somente entrou mais dinheiro, começou a mudar o comportamento das pessoas. É, por isso, que uma indústria dá certo em qualquer país, se eu entender quem é meu consumidor”. Para ele, a maior revolução está na mudança do perfil da mulher brasileira. Hoje são 50 milhões dentro da Classe C. “É a grande mudança que nós vamos ver nos próximos anos. Com a duplicação da renda da mulher, teremos um novo país daqui a dez anos”. Ele acredita que se deve adequar e mudar os modelos de negócios para atender a demandas específicas, e, segundo ele, o Brasil é o lugar para isso. Os nichos devem estar voltados a atender as 180 milhões de pessoas que fazem parte das classes C, D e E. Entre os fatores que contribuem para o desenvolvimento da classe média estão aumento real do salário mínimo e do emprego formal, estabilidade econômica e aumento do crédito na economia.

À noite, mais de 400 pessoas acompanharam a apresentação inédita do publicitário Tiago Mattos. Ele usou das suas experiências pessoais e profissionais, principalmente à frente da Perestroika (escola de atividades criativas) para explicar porque “Mais ou menos, é menos”. A mensagem principal que passou à plateia foi a de que, para gerar crescimento, é preciso sair da zona de conforto. “A maioria das pessoas com quem eu falo estão na zona de conforto. Para fazer coisas novas, vocês têm que se sentir desconfortáveis”. Ao pensar e agir dessa maneira, Mattos tornou-se um profissional conceituado em nível global. No ano passado, por exemplo, ele participou de um curso nos Estados Unidos promovido pela Nasa e Google em que foi treinado para ser um futurista. Mattos ainda compartilhou com a plateia várias premissas que conduzem sua vida, as quais levam em conta a coragem e não o talento. A segunda edição do Reload Sindilojas está programada para março de 2014.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...