Redução dos juros não surpreende, mas FIERGS espera celeridade nas reformas para que taxas caiam rapidamente

“A redução na taxa de juros já era esperada. Entretanto, acreditamos que essa queda poderia ter sido maior. A situação econômica e financeira das empresas tem piorado e o custo do crédito permanece muito elevado”, afirma o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), Heitor José Müller, ao avaliar a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de reduzir a taxa Selic em 0,25 p.p., de 14% para 13,75% ao ano.
O presidente da FIERGS, todavia, espera que a reforma fiscal avance no Congresso, e que haja celeridade no encaminhamento da Reforma da Previdência. “Apenas uma sinalização de reversão da trajetória de nossas contas públicas poderá garantir que essa conquista de juros menores seja sustentável e não comprometa a estabilidade do poder de compra da moeda no longo prazo”, finaliza.

Fonte UNICOM - Unidade de Comunicação Sistema FIERGS

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...