Realidade

Situação econômica dificulta novos investimentos em Lajeado

Lajeado – “Devido às receitas realizadas abaixo do orçado, as despesas no teto, o momento macroeconômico desfavorável, às limitações legais para redução de pessoal e igualmente para redução da prestação do serviço, o município de Lajeado – no momento – está sem capacidade de investir. Não estamos devendo, conseguimos pagar nossas despesas, mas não sobra para investir” explicaram o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, e a vice-prefeita, Gláucia Schumacher, durante a reunião-almoço (RA) desta quinta-feira (09.03) promovida pelo Fórum das Entidades Empresariais e Sociais de Lajeado (Feesla). A exposição, intitulada “A Lajeado que queremos – diagnóstico e projeções”, teve a presença de mais de 140 lideranças empresariais, comunitárias e executivos e aconteceu na Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil).
A afirmação aconteceu durante a apresentação do diagnóstico atual do município. Orçamentos, receitas previstas e realizadas, despesas, dívidas ativas, contratos com empresas, endividamento do município, funcionalismo, prestação de serviço, patrimônio e outros tópicos foram apresentados pelos palestrantes.
Caumo e Schumacher citaram ainda alguns pontos críticos do diagnóstico, tais como: a fila de espera de 627 crianças para Educação Infantil, professores e monitores não contratados e sem previsão de orçamento, parques e ginásios deteriorados e em más condições de uso (em especial Parque dos Dick, Imigrante e Parque Histórico), cemitério municipal deteriorado, 500 lotes irregulares, Cidade Digital sem orçamento para 2017, aterro sanitário com necessidade de reparos urgentes, mais de 500 processos aguardando licenciamento ambiental, pontos de iluminação pública sem luz por falta de lâmpadas, 1.725 pessoas na fila por consulta com dermatologista, 330 aguardando neurologista e 1.460 aguardando traumatologista, entre outros.
“Essas são notícias mais difíceis de digerir. Mesmo assim a gente não pode perder o entusiasmo. Nós escolhemos isso e vamos dedicar todo o nosso esforço e energia para fazer frente a essas demandas sem esquecer de projetar a nossa cidade. Queremos cumprir as obrigações e contar com a parceria da comunidade para que realmente consigamos avançar na nossa Lajeado,” pontuou Caumo.
Projeções
As projeções são divididas em quatro eixos de atuação. O eixo inicial chamado “Primeiras Medidas” consiste na redução de secretarias e de CCs, com economia de R$ 1 milhão até agora; revisão, redução e suspensão de contratos, com economia estimada de R$ 5 milhões em 12 meses; suspensão de contratos grandes e pequenos (café, fotocópias); contratação de dermatologista, neurologista e traumatologista; e a revitalização do Parque dos Dick. A “Profissionalização da Gestão” prevê a reformulação do Centro Administrativo para melhor atendimento; aceleração dos processos internos para aprovação de projetos (ex. Planejamento, Meio Ambiente e Fazenda); plano de ação para redução de filas nas EMEIs (181 vagas anunciadas); e metas de redução de filas para área da saúde. O terceiro eixo “Parcerias com a Comunidade” planeja novos modelos de coparticipação na Educação Infantil para reduzir filas nas EMEIs; novos modelos de parceria para pavimentação; novo modelo para decoração de Natal em Lajeado; parcerias com a Univates para iniciativas em saúde, urbanismo, empreendedorismo e inovação; e a modernização do Parque Histórico e Parque do Imigrante. O “Projetos Estruturais”, último eixo, prevê um plano de desenvolvimento estratégico, com especialista referência nacional, realizando a revisão do plano diretor, o foco em inovação e empreendedorismo, a integração dos fatores indutores do desenvolvimento local e o envolvimento da comunidade; a construção do novo Código Tributário, plano de cercamento eletrônico e a nova lei para uso de áreas institucionais.
“A Lajeado que queremos sabe o caminho do seu desenvolvimento, valoriza sua liderança no Vale do Taquari, trata a coisa pública com transparência, tem parceiros na comunidade e é uma cidade que nos orgulha” finalizaram os palestrantes.
Realização
A RA na Acil foi promoção conjunta com a Associação Lajeadense Pró-Segurança Pública (Alsepro), Associação das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do Vale do Taquari (Aescon VT), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Lajeado, Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) do Vale do Taquari, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), Junior Chamber International (JCI) Lajeado, Núcleo de Arquitetos do Empreender/Acil, Observatório Social (OS) Lajeado, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB Lajeado), Sindicato do Comércio Varejista do Vale do Taquari (Sindilojas VT), Sindicato dos Contadores e Técnicos em Contabilidade do Vale do Taquari (Sincovat), Sindicato da Indústria da Construção Civil e Similares do Vale do Taquari (Sinduscom VT) e Sociedade dos Arquitetos e Engenheiros do Vale do Taquari (Seavat), que integram o Feesla.
As RA de 2017 da Acil têm o apoio de Bebidas Fruki, BRDE, Excellence Garçons, Floricultura Flores e Flores, Lyall Construtora e Incorporadora, MSommer Produções, Olicenter Informática, Sorvebom e Têxtil Home.

Fonte: Priscila Rodrigues – Assessoria de imprensa ACIL

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...