Qualidade do Leite e Manejo de Pastagens são temas de capacitação em Lajeado

Cerca de 50 agricultores dos municípios de Forquetinha, Canudos do Vale, Marques de Souza e Lajeado estiveram reunidos na última quinta-feira, dia 23, para uma capacitação sobre Qualidade do Leite e Manejo de Pastagens. A atividade, realizada na Associação Atlética Municipal de Lajeado, é parte das ações da Chamada Pública do Leite, que está sendo operacionalizada pela Emater/RS-Ascar em todo o Estado, por meio de convênio com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), do Governo Federal.

Na ocasião, foi realizada palestra na parte da manhã com o técnico em Agropecuária da Emater/RS-Ascar, Maicon Berwanger. No turno da tarde, o evento contou com atividades práticas na propriedade do bovinocultor Sigmar Verruck, do Bairro Carneiros. “A intenção foi mostrar aos produtores a importância de estar atento à higiene na hora da ordenha, bem como os cuidados relacionados à alimentação dos animais, como forma de qualificar o processo”, ressalta a engenheira agrônoma da Emater/RS-Ascar, Andréia Binz.

Para o agricultor Eloir Lottermann, da localidade de Bauereck, Forquetinha, os conhecimentos adquiridos em cursos e capacitações têm sido fundamentais para o fortalecimento da atividade, na propriedade em que mora com a esposa e dois filhos. “Na verdade a grande ‘revolução’, por assim dizer, ocorreu há cerca de três anos, quando participei de um curso de cinco dias sobre Qualidade do Leite”, ressalta o produtor, recordando uma atividade realizada no Centro de Formação de Agricultores de Teutônia (Certa).

Até aquela época, Lottermann possuía três ou quatro vacas que não produziam mais do que cinco litros de leite cada. “Foi no curso que passei a entender melhor a importância de uma boa alimentação, de se entender a anatomia da vaca, manejar as pastagens corretamente, cuidar da higiene, entre outros”, explica. Hoje, o agricultor, que há até quatro anos trabalhava em uma fábrica de alimentos, se orgulha ao falar das sete vacas, que rendem 98 litros de leite ao dia. “O aprendizado faz a gente fazer o certo”, garante.

A opinião de Lottermann é corroborada pela da agricultora Rosane Sprandell, do Bairro Moinhos D’Água, em Lajeado. Com 11 vacas produzindo cerca de 150 litros de leite ao dia, a produtora revela o segredo para qualificar a produção. “Além de participar de cursos e outras atividades, temos de ser humildes, estando sempre dispostos a aprender ou mesmo a trocar experiências”, garante Rosane, que há 24 anos deixou o trabalho em um mercado da cidade para retornar à propriedade com a ideia de cuidar dos pais.

Rosane não se arrepende da escolha. Além dos pais estarem bem de saúde, a agricultora investe naquilo que gosta. A empolgação com a agricultura familiar fez a produtora pensar na diversificação da propriedade. “Já estou com as mudas para a implantação de um pomar orgânico encomendadas”, comemora. Futuramente, ao lado das vacas que produzem leite, serão 92 variedades de frutíferas disponíveis. “Mas não esqueceremos o leite, já que construímos recentemente uma nova sala de ordenha, além de termos a ideia de implantar um sistema de pastagem permanente”, observa.

Para o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli, o trabalho relacionado à Chamada Pública do Leite tem sido importante, justamente por possibilitar a produtores com menores litragens a qualificação da produção. “Algo que pode contribuir com o fortalecimento da cadeia produtiva, gerando aumento de renda para o agricultor e contribuindo até mesmo com a sucessão familiar”, ressalta. No Lote 19, fazem parte 500 famílias de 41 municípios dos vales do Caí, Taquari e Serra Gaúcha. Todas têm participado de oficinas, seminários, reuniões técnicas, cursos e dias de campo.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...