Público de 800 pessoas participa da 16ª Convenção CDL Lajeado

A sintonia que a dança e a música exigem dos seus artistas, é a mesma que as empresas precisam de suas equipes de trabalho. E foi com um show de dança que iniciou a 16ª Convenção CDL Lajeado. O evento transcorreu durante todo o dia, nesta quinta-feira, dia 23, no Clube Tiro e Caça, em Lajeado. Superando as expectativas, 800 pessoas de 30 cidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina participaram da programação na qual o tema central foi “O Amanhã se Faz Agora. Você está Preparado?”. Cinco palestrantes contribuíram com conhecimento e experiências: Adriano Braga, Giane Guerra, Lucas Schifino, Ricardo Cappra e João Carlos Martins. “Primamos pela qualidade e trazemos profissionais respeitados e renomados porque acreditamos na melhoria dos nossos negócios a partir do conhecimento. É através da informação e da troca de experiências que conseguimos êxito e diferenciação no mercado”, declarou o presidente da CDL Lajeado, Heinz Rockenbach . A edição de 2017 foi anunciada pelo coordenador do evento, Ricardo Luís Diedrich. Será no dia 22 de junho, com enfoque no tema “O mercado mudou. Reinvente-se!”

Presença ilustre e respeitada nos palcos mais famosos que já percorreu mundo afora, João Carlos Martins encantou a plateia. O maestro foi recebido de pé, sob aplausos, e de saída surpreendeu tocando “Parabéns a Você”, em homenagem aos 50 anos da CDL Lajeado. Considerado um dos maiores pianistas da história, João Carlos Martins fez de sua palestra uma aula de motivação. A história de vida, marcada pela superação, foi contada como forma de inspirar as pessoas a vencer. “Sempre digo: jamais perder o foco. Da adversidade temos que fazer a plataforma para o voo mais alto, não para o abismo”, destacou. Ele, que já passou por 22 cirurgias, desafia os próprios limites ainda tocando piano, ainda que apenas com alguns dedos das mãos. Em vários momentos, manifestou seu agradecimento a Deus por poder continuar na música, agora como regente. Ao fazer uma analogia entre orquestra e empresa, afirmou: “a principal relação entre elas é a harmonia. Ela precisa existir entre os músicos, a cada nota fiscal, assim como nas equipes, na tarefa que cada pessoa desempenha”.

Inovação e estratégia

Na palestra “Inovação e Estratégia para Obter Melhores Resultados”, Adriano Braga frisou a importância das empresas conhecerem melhor seus clientes. O arquiteto e especialista em design estratégico no varejo afirmou que o consumidor deve ser o protagonista da compra. “Precisamos aprender a escutar e perceber. Um dos exercícios mais interessantes que podem ser feitos é o empresário sair da sua sala, da cadeira que ocupa, e ser consumidor da própria loja”. Para ele, isso é decisivo para compreender o consumidor e proporcionar novas experiências. Entre outras dicas, Braga citou parcerias, revisão de estratégias e a definição do que é relevante no negócio. “Reavaliem as operações de vocês. Não tentem ser tudo, cortem o que não é vital. Concentrem os esforços naquilo que é mais importante”, citou. Ele usou como exemplo o cartão-presente, desnecessário para uma loja de ferragens. “Só porque todo mundo tem, não adianta. Quem sabe uma entrega grátis não seja mais útil nesta empresa?”, apontou.

Cenário econômico

O economista Lucas Schifino advertiu: “não podemos ser pessimistas e ficar lamentando a crise, mas também não ignorar a realidade e correr o risco de tomar decisões erradas”. Durante o painel “Rumos da economia pós-crise”, Schifino situou o público quanto aos desafios do Brasil, apontando o alto déficit fiscal do governo como principal problema a ser atacado. Schifino dividiu a apresentação com a jornalista Giane Guerra, em bate-papo mediado pelo coordenador da convenção, Ricardo Luís Diedrich.

O cenário atual foi costurado com informações de como os empresários podem agir. “Na dificuldade de aumentar as receitas, a alternativa é melhorar as margens”, disse, fazendo referência aos custos da empresa. Na área financeira, orientou que o momento pede cuidado redobrado com o fluxo de caixa, estoques e inadimplência. Como jornalista, Giane Guerra apresentou situações da cobertura diária do segmento econômico, citando entrevistas de empresários e especialistas sobre investimentos e visão do mercado financeiro. Também associou a questão política e como ela interfere no dia a dia dos negócios.

Marketing e tecnologia

A troca de informações através da tecnologia está transformando a maneira das empresas investirem em seus empreendimentos. O cientista de dados e consultor internacional de estratégia digital, Ricardo Cappra, provou isso na palestra “Marketing hacking: utilizando a informação para agregar valor e construir relacionamentos”. Cappra mostrou como a decodificação do comportamento do consumidor pode contribuir cada vez mais para o desenvolvimento de grandes e pequenas empresas. “Podemos dizer que ‘torturamos’ dados até que, em algum momento, eles revelem as informações que precisamos. Não importa o tamanho do negócio, quanto maior a base de informação, maior será o sucesso”, afirma.

A palestra abrangeu também o cruzamento de dados no caso do ebola, o empoderamento da informação visual, o perfil das pessoas através da captação de informações em grandes sites e redes sociais, além de mostrar o trabalho desenvolvido por grandes empresas como o Google e a Coca-Cola.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...