Público de 600 pessoas prestigia Seminário de Contabilidade

Constantes mudanças em legislações tributárias, fiscais e contábeis fazem parte da rotina da contabilidade, e estar atualizado é premissa essencial para quem atua nesta área. Mas na última quinta-feira, dia 19, foi dedicada por cerca de 600 pessoas, entre empresários, profissionais, estudantes e lideranças do segmento, ao conhecimento e à reflexão sobre temas do mercado e da vida pessoal. Elas participaram do 11° Seminário de Contabilidade do Vale do Taquari, evento de capacitação promovido pelo Sindicato dos Contadores e Técnicos em Contabilidade do Vale do Taquari (Sincovat) e que foi realizado no Centro Universitário Univates, em Lajeado.

A programação foi composta por seis palestras, que abordaram os assuntos empreendedorismo, saúde emocional, desafios do mercado, crise econômica e eleições, espiritualidade e trajetória da contabilidade.

O tema central desta edição foi “Contabilidade na velocidade da Geração Y”. Na abertura do evento, o vice-presidente do Sincovat e coordenador do Seminário, Edson Alexandre Schneider, falou sobre as transformações no perfil dos profissionais. “No atual mercado de trabalho da contabilidade, onde o novo profissional tem em média 25 anos e muitos acabam de sair da faculdade, não há mesmo como negar a presença cada vez maior da Geração Y” destacou. Segundo Schneider, com características tão peculiares, principalmente quanto à geração anterior, é compreensível que surjam dificuldades na comunicação entre eles. “Esse desafio é permanente. Mas também, muito gratificante, pois essa nova geração induz à renovação e traz um espírito de inovação às empresas – e ambas as características são essenciais para o sucesso de qualquer negócio”, finalizou Schneider.

Para o presidente do Sincovat, Jandir Dickel, o Seminário de Contabilidade proporciona um momento único de aprendizado. “Temos este dia especial para obtermos mais conhecimento em outras áreas, pois, além de sermos contadores, na maioria das vezes, somos conselheiros em nossos escritórios e empresas”, frisou Dickel.

A exaltação do profissional contábil fez parte do discurso do presidente do Conselho Regional de Contabilidade do RS (CRCRS), Zulmir Breda. Ele lembrou sobre a campanha da classe – “2013: Ano da Contabilidade no Brasil”. “Ela foi criada para darmos conhecimento à sociedade sobre o papel dos profissionais contábeis. É uma profissão muito promissora e que está com grande demanda de trabalho no mercado brasileiro”. O prefeito de Lajeado, Luís Fernando Schmidt, deixou como mensagem a importância das relações humanas. Quanto ao evento, disse “que devemos evoluir e buscar conhecimentos tecnológicos. Esse seminário vem ao encontro das necessidades modernas”.

Homenagens

O Seminário também teve dois momentos de homenagens. O Sincovat inovou coma criação da Láurea Contador Doutor Olívio Koliver. O primeiro a ser homenageado foi o contador Erni Ilmo Petry. A mais importante contribuição do profissional à classe foi durante a gestão de prefeito de Lajeado, quando o Executivo doou a área de terra para a futura sede do Sincovat. A estrutura que hoje o sindicato tem é fruto desse ato.

Outra distinção entregue foi a Contador Emérito do Vale do Taquari 2013. O contemplado desta edição foi o contador e empresário Verno Arend. Ele teve forte atuação no setor contábil e na área comercial de empresas do Vale do Taquari e atualmente dedica-se à administração da sua empresa, Longevitá Fraldas, situada em Estrela, com mercado em todo o Brasil.

Empreendedorismo

A paulista Bel Pesce encantou a plateia com sua simplicidade e conhecimento. Durante a palestra “A menina do Vale: como o empreendedorismo pode mudar a sua vida”, realizada na Univates, a jovem empresária de 25 anos compartilhou com o público a sua trajetória profissional de sucesso. Da seleção para a Massachusetts Institute of Technology (MIT) até a criação da empresa FazInova, Bel Pesce contou os desafios e as etapas vencidas com determinação e muito empenho. “ Temos muito mais controle e capacidade do que imaginamos, até sobre coisas que parecem impossíveis. A gente precisa dar oportunidade para as oportunidades que aparecem”, destacou. Na FazInova Bel Pesce incentiva o empreendedorismo, sua paixão de vida. “É um local onde descobrimos, desenvolvemos e conectamos talentos, potencializando o melhor de cada um”, explicou.

Saúde emocional

“Saúde emocional é ter qualidade de vida, buscar o equilíbrio e prevenir doenças”, afirmou o enfermeiro Renan Costa Finamor. Ele e a terapeuta ocupacional Paula Marin, do Espaço Vida da Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo, focaram sua apresentação nas rotinas diárias que resultam na saúde emocional.

Finamor disse que é preciso buscar o equilíbrio em situações como estresse, consumo excessivo, violência e muito trabalho. Isso deve ser associado à prática de exercícios físicos, consulta ao médico, exames preventivos, boa alimentação, tempo para o lazer e a diversão. “Quanto mais cedo nos preocuparmos com isso, melhores os resultados”. A terapeuta Paula acrescentou dicas como o estabelecimento de prioridades para a realização das tarefas, o efeito do pensamento positivo e a preservação das relações familiares. Como mensagem final, os profissionais enalteceram a importância de lembrar aos outros o quanto as pessoas são especiais para você, seja no trabalho ou na família.

Desafios multiconectados

Com tom motivador, o consultor empresarial e professor Christian Tudesco falou sobre os desafios na atualidade. “O século XXI pode ser definido pela mudança, e ela está acontecendo na nossa vida porque o sucesso de hoje não garante o sucesso amanhã”. No que se refere ao mercado, Tudesco disse que o ciclo de vida dos produtos e serviços está cada vez mais curto. “Eu estou comprando sossego quando contrato os serviços de contabilidade”, exemplificou. Por isso, as empresas devem investir no que se tornará valor para os clientes. As empresas também lidam atualmente com um novo perfil de consumidor, que é multiconectado. “Eles são influenciadores e tomadores de decisão”. Isso porque este público tem mais informação e opções de escolha, o que faz com que a fidelidade com uma organização ou marca desapareça.

“Duvide de quem acha que tudo agora passa pela internet”. Para Tudesco, as empresas devem aprender sobre o comportamento dos consumidores e não apenas a respeito de tecnologias. “As ferramentas são para a gente chegar lá. O grande diferencial é a atitude”.

Economia e eleições

O cenário atual do Brasil e as tendências para o ano eleitoral foram o foco da apresentação da jornalista Carolina Bahia. Ela afirmou que Dilma Rousseff será candidata à reeleição no próximo ano, listou nomes da oposição e alianças que estão sendo construídas para concorrer à presidência. Associou a isso os fatos recentes, em especial a partir dos movimentos populares de junho.

Carolina Bahia falou sobre as grandes pautas da campanha eleitoral do ano que vem. E destacou a saúde como a principal bandeira da gestão de Dilma. Ainda salientou o grave problema de infraestrutura que o Brasil tem. “Um país que quer crescer tem que investir em infraestrutura. A alternativa para isso acontecer devem ser as parcerias com o setor privado”.

Déficit previdenciário, Programa Mais Médicos, reformas Política e Tributária – as quais acredita não serão votadas pelo atual Congresso -, foram mais alguns dos assuntos abordados. Durante toda a palestra e nas respostas aos questionamentos, Carolina mesclou opinião com as informações das suas fontes e bastidores fruto da atuação da cobertura jornalística em Brasília.

Espiritualidade

Em sua explanação, o doutor em Teologia Sistemática Érico Hammes mostrou por que a espiritualidade é princípio para uma existência feliz. “O núcleo central da palavra espiritualidade é vida, vitalidade. Ela faz viver, existir, é o que anima”. Ele usou como exemplo desta manifestação a tragédia na boate Kiss, em Santa Maria. “Se nós olharmos esse evento pelo seu aspecto trágico e a nossa reação a ele, como sociedade, percebemos que no meio da dor somos capazes de ser pessoas humanas, ter sensibilidade e de dar respostas rápidas”, destacou. Para ele, as pessoas buscam sempre plantar a esperança, mesmo quando se sentem “vivendo num buraco”.

Hammes citou inúmeros exemplos de experiências de espiritualidade. Entre elas, as de contato com a natureza, como caminhar, ouvir o canto dos pássaros e vislumbrar suas diferentes plumagens. Silenciar, viver uma vida simples, amar, ter amizades e protestar são outras formas, segundo Hammes, que podem ser usadas para a transcendência e ao encontro do indivíduo consigo mesmo.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...