Projetos identificam potencialidades e incremento em propriedades de jovens

O potencial de empreender para tornar a propriedade mais lucrativa e rentável foi o ponto-chave do Encontro do Projeto Sucessão Familiar realizado na quinta-feira, dia 21. Sete jovens da Turma 2 surpreenderam os conselheiros de Administração da Dália Alimentos ao apresentar seus respectivos projetos, que culminaram a conclusão do curso, que teve duração de 16 meses para os alunos da Turma 2.

Coordenados pelo professor Lucildo Ahlert, os alunos apresentaram seus respectivos projetos com ênfase para investimentos e melhorias que projetam e/ou pretendem realizar nas propriedades. Em todos os trabalhos, o objetivo é melhorar os resultados financeiros e projetar aumentos e incremento de produção.

Ahlert iniciou o encontro ressaltando a sistemática das aulas do projeto, a encerrar-se oficialmente em junho. Falou acerca do sistema de informática utilizado para compilação das informações e o formato adotado para inserção dos dados em planilhas e tabelas. “Todos os projetos serão analisados para que apresentem viabilidade técnica e econômica e que possam ser aplicados na propriedade”, explica o docente, complementando que estes trabalhos têm como objetivo inserir os jovens como parceiros nas propriedades dos pais. “Em todos os projetos os participantes têm garantida a inserção na propriedade e, a partir disso, também terão a sua participação nos resultados”, complementa.

Projetos apresentados

De forma individual e resumida, cada jovem detalhou o seu projeto. Afonso Nicolini (20), de Progresso, destacou o incremento na atividade suinícola que pretende fazer junto do pai, saltando de 1,5 mil para 2,5 mil suínos alojados. O investimento deverá ultrapassar os R$ 200 mil para edificação da nova instalação e aquisição de equipamentos.

De Anta Gorda, Tiago Dalla Vecchia (24) destacou o projeto de incremento de 30% na produção de leite. Hoje, a família atua com suínos e pretende ampliar e qualificar a atividade leiteira. O investimento está orçado em R$ 85 mil. Do mesmo município, Marcelo Berté (21) deu ênfase ao projeto de aumento da produção suinícola, saltando de dois mil para 4,1 mil suínos alojados, num total de R$ 400 mil que deverá ser aplicado na construção da nova granja.

Em Progresso, Izequiel Zuffo (25) demostrou interesse em qualificar o rebanho e a qualidade do leite, aumentando em 80% a produção. O orçamento do projeto é de R$ 56 mil. Maicon Matiello (25) mora em Guaporé e também almeja incrementar a produção na bovinocultura leiteira. Com um investimento estimado de R$ 6,7 mil, pretende trabalhar no melhoramento genético, nas instalações e no aumento da litragem e qualidade do leite produzido.

Jucimar Magoga (18) reside em Vista Alegre do Prata e almeja ampliar a granja de suínos existente na propriedade, saltando de 700 para 1,2 mil suínos alojados. O novo pavilhão demandará a aplicação de R$ 218 mil. Por fim, a jovem Fabiane Zampeze (20) deu enfoque ao projeto de reutilização de um antigo galpão, transformando-o em sala de pré-parto para as vacas. A readequação da infraestrutura demandará investimento de R$ 21 mil.

Projetos elogiados

Impressionados com os trabalhos apresentados, o presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini, e o presidente Executivo, Carlos Alberto de Figueiredo Freitas, elogiaram a metodologia aplicada pelo professor no curso e o enfoque dado pelos alunos em cada projeto. “São ferramentas de gestão do negócio, belos e excelentes projetos. Com certeza este conhecimento é o maior patrimônio que vocês podem ter. Parabéns pela decisão de estarem aqui”, disse Piccinini.

Freitas parabenizou o professor e os alunos e garantiu que hoje, no Brasil, poucas universidades têm profissionais que conhecem o sistema que os jovens utilizaram para montagem dos projetos. “Vocês são conhecedores, já detêm a informação. São vencedores e merecedores do sucesso que só vem com trabalho e muita persistência.”

Congresso Internacional em julho

Em junho, a Turma 2 voltará a reunir-se para um encontro de avaliação de todas as ações desenvolvidas durante os 16 meses de aula. Haverá apresentação dos aspectos positivos e negativos, sugestões e melhorias.

Já no mês de julho, como ponto culminante, ocorrerá uma confraternização com formatura e entrega de Certificado de Conclusão em Formação e Implantação de Gestão em Empreendimentos Rurais Familiares aos alunos que frequentarem as aulas.

Os jovens que atingiram a presença determinada e pré-estabelecida participarão, nos dias 29 e 30 de julho, em Porto Alegre, do Congresso Internacional do Leite. O evento é uma realização da Embrapa Gado de Leite de Juiz de Fora (MG) e do Instituto Gaúcho de Leite (IGL), do qual Piccinini é presidente.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...