Programa prevê salto de qualidade do leite em Nova Bréscia

A capital da avicultura quer expandir sua atuação também no setor leiteiro. Para isso, a Administração Municipal, por meio da pasta de Agricultura, deu início ao Programa Municipal de Desenvolvimento do Setor Leiteiro. Em andamento com a adesão de produtores locais, o programa visa promover ações que venham a estimular e fomentar a atividade no município.

Conforme o secretário de Agricultura, Cristiano Carlos Laste, Nova Bréscia demonstra uma projeção boa para a bovinocultura leiteira. Ele ressalta que o programa, iniciado neste ano, encontra-se em andamento e pretende atingir, em médio prazo, os 180 produtores de leite do município. Destes, 142 atuam de forma comercial e devem qualificar a atividade com auxilio do programa em diversas áreas.

Outro ponto a ser fomentado com o programa de desenvolvimento do setor é o volume de litros produzidos diariamente. Atualmente, Nova Bréscia tem um rebanho de 1,5 mil vacas e uma produção mensal de 18 mil litros de leite. A finalidade é impulsionar desde a genética dos animais até a litragem produzida.

Laste explica que a adesão dos produtores é livre e que existe uma parceria entre a secretaria e os agricultores para que o programa flua e se desenvolva. “Montamos uma parceria para verificar a necessidade de cada um e, a partir disso, formatar e traçar um plano de trabalho com metas e ações”, explica.

Por meio do programa, os produtores têm benefícios nas mais variadas áreas. Em relação à pastagem, segundo Laste, foi implantado sistema para aquisição de calcário, algo inédito no município. O transporte do produto é realizado de forma gratuita pelo município e o pagamento é realizado diretamente à indústria.

Com isso, o custo do calcário para o agricultor é menor, pois somente é pago o produto. “Antes os agricultores pagavam R$ 140 e hoje este custo se reduziu para R$ 53”, contabiliza o secretário. Para receber o auxílio, produtores deverão realizar a análise do solo na área onde será aplicado o calcário. As análises são realizadas no laboratório da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e encaminhadas via secretaria de Agricultura ou Emater/RS-Ascar.

Laste contabiliza que até o momento foram transportadas 128 toneladas de calcário e que existe um cronograma de entrega junto à Secretaria Municipal de Obras para o transporte aos agricultores que encaminharam pedido e análise de solo.

Melhoramento genético

O programa também prevê que o rebanho tenha um melhor acompanhamento, visando qualificar a genética e, com isso, aumentar o volume de leite produzido. Para isso, teve início o trabalho de visitação às propriedades com avaliações do rebanho leiteiro realizadas pela veterinária da empresa CRI, Daniela Rico.

A profissional realiza os acasalamentos e avaliações morfológicas para diagnosticar qual o melhor sêmen a ser implantado em cada animal, onde este sêmen será adquirido e fornecido ao produtor gratuitamente. Também será concedido acompanhamento de um veterinário da prefeitura às propriedades participantes.

Os próximos passos do programa visam a realização de reuniões e visitas para tratar de assuntos como qualidade do leite, processo de ordenha e armazenamento nos resfriadores.

Pastagens

No fim do mês de julho, ocorreu uma reunião que teve a finalidade de orientar os produtores sobre as pastagens de verão que serão implantadas nos próximos meses, bem como o manejo das existentes e a dieta alimentar do rebanho bovino.

Participaram cerca de 40 agricultores que ouviram as explanações do técnico e representante da Agropecuária Boqueirão, Anselmo Mezzomo, que falou sobre a qualidade dos alimentos a serem fornecidos aos animais, levando em consideração que uma alimentação bem elaborada torna-se o principal fator da atividade leiteira.

Segundo Laste, um diagnóstico foi realizado pela pasta de Agricultura e apontou que mais de 60% das propriedades brescienses produzem menos de 100 litros por dia. “A partir deste dado percebemos o quanto árduo será o trabalho a realizar neste setor de suma importância para o município e bastante promissor”, enfatiza, ressaltando que as ações serão desenvolvidas pela secretária em parceria com a Emater/RS-Ascar.

Secretaria de Agricultura em novo endereço

A Secretaria de Agricultura está atendendo em nova repartição. Os trabalhos estão no subsolo do Centro Administrativo, onde antes funcionava a Inspetoria Veterinária. O local passou por uma reorganização, propiciando um melhor atendimento aos agricultores e agricultoras, permanecendo todos os departamentos ligados à agricultura em um único local.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...