Programa desperta jovens à sucessão rural

Oferecer subsídios aos jovens para que eles despertem o interesse de permanecer no campo. É com este propósito que a Emater/RS-Ascar e a Administração Municipal, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Desporto, desenvolvem um programa de sucessão rural desde abril deste ano na rede municipal de ensino. Conforme levantamento da Emater, hoje são 616 propriedades familiares existentes no município, sendo que em menos de 50 existe a garantia de sucessão.

Num primeiro momento, a iniciativa é implantada na Escola Frei Henrique de Coimbra. Nos demais colégios municipais serão feitos trabalhos agroecológicos, motivacionais e de cuidado das próprias hortas mantidas pelos estudantes no ambiente escolar, sobretudo voltados à orientação.

Para abrir o programa de modo oficial, nessa quarta-feira à tarde, dia 8, os alunos da Escola Frei Henrique de Coimbra que participam do projeto fizeram uma visita técnica à propriedade do olericultor Marcos Purper, em São Bento, Lajeado. O objetivo foi conhecer uma horta de cunho comercial e verificar as técnicas envolvidas no processo de manejo dos produtos, assim como os sistemas de produção (a campo ou em estufa) e os tipos de hortigranjeiros.

A visita fez parte dessa primeira etapa do programa, cujo tema é a olericultura. Serão em torno de 16 horas de aula, tanto práticas como teóricas, para esmiuçar esse tipo de produção voltada aos hortigranjeiros. A tendência é a realização de encontros quinzenais, os quais são coordenados pela equipe da Emater. Fruticultura, piscicultura, apicultura, dieta das vacas leiteiras, higiene e qualidade do leite são áreas que também serão trabalhadas durante a capacitação.

Carlos Henrique da Silva Müller, 12 anos, é um dos 18 estudantes que integram o projeto. Cursando o 7º ano, ele pretende suceder o pai Milton na agricultura. “Ajudo em casa a tratar os animais e a pegar pasto”. O morador de Sampainho também elogia a iniciativa da Emater e da Administração Municipal. Segundo ele, é importante mesclar aulas teóricas e práticas, como a realizada em São Bento.

Durante a visita, os alunos foram orientados pelo técnico em agropecuária da Emater, Luiz Bernardi, e pelo filho do proprietário dos hortigranjeiros, Mailor Purper, de 16 anos. No local são produzidas dezenas de variedades, como morango, tomate, alface, cenoura, brócolis, couve-flor, aipim e batata-doce. A família desenvolveu um site no qual realiza vendas de produtos, mostrando que o uso da tecnologia e a renovação constante são fundamentais para o sucesso do negócio, inclusive na zona rural.

Como funciona

Bernardi informa que o programa é dividido em três etapas. A primeira visa levar conhecimento técnico aos estudantes. A segunda frente de atuação é coordenada pela Inspetoria Veterinária de Lajeado, com o enfoque voltado à saúde animal. E a terceira etapa enfoca o desenvolvimento de atividades pelos alunos a partir das informações repassadas nas capacitações, cuja realização fica a cargo da escola, onde o trabalho é desenvolvido pelo professor Julio Franz.

De acordo com o técnico em agropecuária, os jovens devem se atentar à importância de se apoderarem do conhecimento no setor rural para, dessa forma, se sentirem mais seguros e criarem alternativas viáveis para manter-se na agricultura. “Assim, conseguirão desenvolver culturas e sistemas de produção com mais profissionalismo que permitam o aumento da produtividade e a lucratividade necessária para a permanência no campo”. Além de Bernardi e Franz, a visita à propriedade dos Purper foi acompanhada pela extensionista social Sandra Gerhardt.

Para o secretário municipal de Educação, Cultura e Desporto, Leonardo Braun, a parceria com a Emater e a Inspetoria Veterinária possibilita que os alunos aprendam pedagogicamente e também levem conhecimento às propriedades onde residem com os pais. “Sempre é importante aproveitarmos a capacidade técnica dessas entidades para oportunizar algo novo e de qualidade aos nossos estudantes. Lembrando que essa é uma parceria sem custos ao município”.

O prefeito Inácio Herrmann ressalta que uma das preocupações do governo municipal é oferecer ferramentas às crianças e adolescentes para que consigam ter qualidade de vida no setor rural. Conforme ele, a agricultura tem um papel fundamental na economia do município, sendo indispensável tanto para quem produz como para quem consome a produção. Também destaca o trabalho do Executivo de estruturar as comunidades do interior, como é o caso de Nova Santa Cruz, que tem uma escola equipada, telefone, internet, quadra esportiva coberta e, futuramente, receberá asfalto.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...