Programa de eficiência energética possibilita economia ao Hospital Ouro Branco

A Câmara da Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Teutônia promoveu, na última quinta-feira, dia 26, Almoço Empresarial, oportunidade em que foi apresentado o case do Hospital Ouro Branco no que se refere à eficiência energética, baseado na temática “Suprimento de energia elétrica no Brasil e no Vale do Taquari”. Na ocasião conversaram com os empresários teutonienses o diretor operacional de energia da Certel Energia, Ernani Aloísio Mallmann, e o engenheiro elétrico, especialista em Eficiência Energética, Rainer Büneker.

O presidente em exercício da CIC, Renato Scheffler, agradeceu a presença de todos. “É um assunto muito importante, principalmente em se considerando o atual contexto econômico e a realidade financeira do nosso Hospital Ouro Branco. Este trabalho de eficiência energética pode ser compartilhado com outras entidades e empresas”, destacou.

“Precisamos buscar a confiança energética”

Mallmann detalhou a estrutura do setor energético brasileiro e questões de legislação, além de fontes alternativas de energia. “O sistema elétrico brasileiro é bastante complexo. Dependemos de uma série de itens para termos energia de qualidade”, frisou.

O país conta com cerca de 4,3 mil empreendimentos de geração de energia elétrica e cerca de 127 mil quilômetros de linhas de transmissão para levar energia a 77 milhões de consumidores. “Considerando as dimensões do país, existem dificuldades para levar energia elétrica a cada canto do Brasil. A estrutura do Sistema Interligado Nacional (SIN) é enorme. Podemos afirmar que, se não fosse o SIN, estaríamos fazendo racionamento no Rio Grande do Sul”, avaliou Mallmann.

Especificamente quanto à capacidade energética do Vale do Taquari, ele ressaltou que “a região precisa buscar a confiança energética, o que influi diretamente na atração de novas empresas que demandam grande consumo de energia”. Hoje, a Cooperativa Languiru é o maior consumidor de energia elétrica da Certel, juntamente com o agronegócio como um todo. “As maiores demandas estão diretamente relacionadas ao calor, com os picos de consumo nos meses de Verão”, acrescentou.

Para Mallmann, a construção de novas usinas hidrelétricas pode reduzir as despesas com energia. “Hoje, o uso de energia térmica, em função da escassez de chuva para abastecer os reservatórios das usinas hidrelétricas, acaba encarecendo a energia elétrica brasileira”, concluiu.

“Se tudo correr como no projeto, a próxima lâmpada do HOB será trocada daqui a quatro anos”

Büneker apresentou detalhes do projeto de eficiência energética desenvolvido junto ao Hospital Ouro Branco. Além de conceitos, também apresentou vantagens e desvantagens desse planejamento. “Em resumo, eficiência energética é produzir mais com menos. É um conjunto de medidas e práticas que aumentam a eficiência com que a energia é utilizada em todos os setores da economia”, explicou.

Ele ainda falou dos detalhes do projeto desenvolvido pela Certel Energia junto ao HOB. “Se tudo correr como no projeto, a próxima lâmpada será trocada daqui a quatro anos”, enalteceu.

A eficientização da iluminação teve a substituição de 987 lâmpadas incandescentes, fluorescentes compactas e tubulares por lâmpadas fluorescentes tubulares T5, bulbo Led (diodo emissor de luz) e Tube Led. Na climatização, substituição de 21 condicionadores de ar de 9 mil, 12 mil, 18 mil e 27 mil BTUS por aparelhos mais eficientes. Entre os equipamentos de refrigeração, substituição de 15 refrigeradores e um freezer de baixa eficiência por refrigeradores mais eficientes. Além disso ainda foi implantado sistema de aquecimento solar, com a substituição de 39 chuveiros elétricos de 6,5 mil watts  e sete torneiras elétricas por 50 coletores solares com 1,5 metros quadrados, e cinco reservatórios térmicos de 1 mil litros. “O sistema fornece água quente para 55 leitos, cozinha, salas de enfermagem, ambulatórios, consultórios, entre outros ambientes. O projeto, como um todo, permite iluminação de melhor qualidade, adequação às normas técnicas e redução de custos de manutenção”, explicou Büneker.

HOB agradece

Ao final das palestras, o presidente da mantenedora do HOB, a Associação Beneficente Ouro Branco (ABOB), Francisco de Souza Abrahão, entregou placa como forma de agradecimento à Certel Energia. O presidente da cooperativa, Erineo Hennemann, recebeu a homenagem.

“A Saúde é um ramo muito difícil para equalizar e, nesse contexto, temos certeza de que as portas do Hospital Ouro Branco seguem abertas, 24h por dia, 365 dias por ano, graças às parcerias públicas e privadas. Podemos afirmar que somos um dos poucos que não sentiram tanto o aumento do custo da energia elétrica graças ao projeto de eficiência energética, que equalizou essa despesa. Mantemos a conta em níveis aceitáveis face a esse projeto. A Certel estende a mão e nos ajuda como pode”, agradeceu Abrahão, citando também o programa Mãos Dadas com a Saúde, com a doação espontânea de consumidores via conta de energia elétrica em benefício do HOB.

O diretor executivo da casa de saúde teutoniense, André Lagemann, igualmente agradeceu o apoio recebido. “O projeto de eficiência energética, para a Certel, atende um requisito da Aneel, e, para nós, foi uma grande oportunidade de melhoria. Quase mil lâmpadas foram substituídas, além de refrigeradores e aparelhos de ar condicionado, bem como a implantação do sistema de água com aquecimento solar. Isso tudo, além de garantir uma melhor iluminação e condição segura de trabalho para todos nós, também auxiliou para que, de alguma forma, fosse absorvido o recente aumento da energia elétrica. Com o menor consumo de energia elétrica, todos são beneficiados: a Certel, que atende a quesito legal; o HOB, que atualiza a tecnologia e mantém um gasto médio de energia; e a população em geral, beneficiada com o hospital que segue de portas abertas”, frisou.

Hennemann agradeceu a homenagem. “É uma honra para a Certel receber este reconhecimento. Além de atender exigência legal, elogio às pessoas que definiram o HOB como beneficiado com esse projeto. Acompanhamos as dificuldades na Saúde e fizemos questão de tentar auxiliar. Nosso hospital é um bem precioso”, afirmou, acrescentando que “energia não pode ser desperdiçada”.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...