Produtores que controlam a brucelose e tuberculose serão remunerados

Indústrias leiteiras vão remunerar os produtores com adicional de R$ 0,015 por litro de leite oficialmente saneado, livre de tuberculose e brucelose, mediante a apresentação do respectivo certificado oficial do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Decisão neste sentido foi tomada em reunião realizada na última terça-feira, dia 15, pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa) do RS, Luiz Fernando Mainardi, com prefeitos dos municípios da comarca de Arroio do Meio e empresários do setor leiteiro, em Porto Alegre.

O acordo é de fundamental importância na consolidação do Projeto Piloto Nacional daquela Comarca e para a expansão do Programa Estadual de Controle e Erradicação da Tuberculose e Brucelose bovídea (Procetube/RS), ambos com base no Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT), do Mapa.

Para dar agilidade à implantação do acordo de pagamento adicional por leite saneado, as indústrias laticinistas presentes, os prefeitos e o titular da Seapa acertaram que o anúncio desta medida inovadora seja feito com a assinatura de Termo de Cooperação em Arroio do Meio, na interiorização que o governador Tarso Genro fará no Vale do Taquari, nos próximos dias 24 e 25. Também serão convidados os mais de 20 municípios do estado que começarão a implantar o Procetube em 2014 para o primeiro ato neste sentido.

A região do Vale do Taquari é a primeira a aderir ao saneamento da tuberculose e brucelose bovina por área geográfica municipal. A região se destaca por possuir a terceira bacia leiteira gaúcha, com índices de crescimento expressivos segundo levantamento de 2012, feito pelo IBGE. Fazem parte do projeto piloto os seis municípios da Comarca de Arroio do Meio: Capitão, Coqueiro Baixo, Nova Bréscia, Pouso Novo e Travesseiro. Há mais 15 municípios da região inscritos para saneamento através do Procetube, a partir de 2014.

Segundo Mainardi, a meta é que, no período máximo de oito anos, haja significativa expansão de saneamento em todo o estado, buscando atingir 100% dos municípios. “Temos que possuir um diferencial para dar tranquilidade e certeza de um produto diferenciado para o consumidor e que agregue valor à indústria”, destacou o secretário. Acredita também que, para dar a percepção ao consumidor de quais são os derivados lácteos diferenciados, será necessária a criação de um sistema garantido por um selo de sanidade, de qualidade ou de identificação de origem, cujos regulamentos exigem como atributo inicial a sanidade oficial. “A intenção é que o estado e prefeituras trabalhem conjuntamente”, complementa.

Próximas reuniões

O secretário pretende convidar a Câmara Setorial do Leite e o Comitê Gestor do Procetube para uma reunião a ser realizada no dia 22 deste mês, a fim de dar conhecimento e debater os ajustes acertados.

Acordo e Anúncio

Como resultado do encontro, as indústrias presentes acordaram começar a remunerar os produtores com adicional de R$ 0,015 por litro de leite saneado oficialmente, mediante a apresentação do respectivo certificado oficial do Mapa, pelo produtor.

Participaram da reunião, o coordenador da Câmara Setorial do Leite, João Milton Cunha; consultor da Câmara do Leite e coordenador do Projeto Piloto da Comarca de Arroio do Meio, Oreno Ardêmio Heineck; dirigentes das empresas BRFoods; Coolag; Hollmann; LBR; Languiru; Latvida; Promilk; Quinta do Vale e prefeitos dos municípios de Arroio do Meio, Sidnei Eckert; Capitão, Cesar Beneduzzi e Coqueiro Baixo, Veríssimo Caumo. Também estiveram presentes os vice-Prefeitos de Nova Bréscia e Pouso Novo e os secretários municipais da Agricultura de Pouso Novo, Travesseiro, Arroio do Meio e Capitão.

O Programa

O Procetube foi lançado pelo governo do Estado, sendo coordenado pela Seapa. Busca o controle e a erradicação da brucelose e tuberculose bovina, doenças que impõem perdas econômicas e trazem prejuízos a saúde pública.

O programa está baseado em projeto desenvolvido há dois anos no Vale do Taquari. É executado por um conjunto de entidades e representações do setor produtivo, a partir de foco registrado no município de Arroio do Meio.

A projeção é de que, em oito anos, todas as propriedades que criam bovinos para a produção de leite e carne no estado estejam certificados.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...