Produtores participam de Dia de Campo em Dois Lajeados

Um grupo de 70 produtores, dos municípios de Dois Lajeados, São Valentim do Sul e União da Serra, que integram o Lote 18 da Chamada Pública do Leite, participou na quarta-feira, dia 16, de um Dia de Campo em bovinocultura leiteira. O evento foi realizado na propriedade do agricultor Hilário Faciochi, da localidade de Linha Fernando Abott, em Dois Lajeados. Na ocasião foram abordados, por meio de quatro estações de trabalho, os temas diversificação de renda, qualidade do leite e custos de produção, criação correta da terneira e sanidade animal e produção de alimentos volumosos.

A propriedade que Faciochi divide com a esposa Nelsa e o filho Daniel – que é o principal responsável pela atividade leiteira no local – funciona como a Unidade de Referência (UR) do município. Na área de sete hectares “agricultáveis” são 11 vacas em lactação, produzindo mais de 200 litros de leite ao dia. “No local, os participantes podem conhecer outras realidades e trocar experiências, além de constatar o fato de que é possível ter uma propriedade organizada, com boa produtividade, mesmo em um espaço considerado não tão grande”, salienta o técnico agrícola da Emater/RS-Ascar de Dois Lajeados, Jorge Cappellaro.

Daniel explica que a bovinocultura leiteira tem substituído nos últimos anos os cultivos de tabaco e uvas na propriedade. “É uma renda diária garantida, que não fica tão sujeita às oscilações que podem resultar em uma perda total de safra”, analisa. Desde 2011 já não há mais nenhum pé de fumo plantado no local. Já as uvas, seguem ocupando um espaço de dois hectares. Ainda assim, o leite parece ser o melhor investimento para a família. “Aos poucos os processos vão sendo qualificados, com aquisição de equipamentos, mais cuidados com a genética e com a higiene, o que garante a manutenção do valor repassado ao produtor”, enfatiza o jovem.

A situação é semelhante à do produtor Flávio Rosalen, da localidade de Fazenda Fialho, em São Valentim do Sul. Ao lado de esposa, Dilene, mantém um plantel de 19 vacas, além de dois aviários em sistema de integração. “Há 15 anos o fumo deixou de ser o principal produto em nossa propriedade”, explica Dilene. “Com o leite, além de ter uma renda mensal garantida, temos mais qualidade de vida”, observa a agricultora. A intenção, futuramente, é implantar uma sala de ordenha canalizada, com galpão para as vacas. “Quando a gente faz o que gosta, nos motivamos diariamente”, salienta Flávio.

O coordenador da Chamada Pública do Leite na região, supervisor da Emater/RS-Ascar, Flávio Breda, ressalta que fazem parte do Lote 18, 23 municípios da Serra, Campos de Cima da Serra, Hortênsias e Vale do Taquari. “Desde o início de 2014, são 500 famílias participando de cursos, capacitações, seminários, palestras e dias de campo como o de hoje, com o objetivo de promover o aumento da produtividade, da renda e da qualidade de vida dos participantes, especialmente para os produtores que trabalham com uma litragem mais baixa”, enfatiza Breda.

A atividade contou ainda com a participação de outras autoridades, como o prefeito de Dois Lajeados, Valnei Cover, secretário de Agricultura, Ivanor Fornari e supervisor da Emater/RS-Ascar, Cezar Burille, além dos extensionistas Fábio Balerini, Jorge Cappellaro, Rossana Signor da Silva e Nadia Bedin. Burille valorizou o evento pela possibilidade de trabalhar a bovinocultura de leite, com foco na sustentabilidade econômica, social e ambiental. “O objetivo de ações como a de hoje é qualificar o processo de produção para que os produtores estejam, a cada dia, mais adequados ao que o mercado exige”, completou.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...