Produtores de Colinas recebem incentivo do Feaper

O grupo da alimentação escolar existe há uns quatro anos e incentiva a melhoria social, econômica e principalmente diversifica o município que tem bastante foco na produção de leite, aves e suínos. Os produtores, Lourdes Scharb, Cesar Cardoso e Nelson Goldmeier, adquiriram recentemente um tratorito, que é uma pequena máquina agrícola. A aquisição ocorreu através do Projeto de Olericultura da Emater/RS-Ascar, por meio de recursos do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper).

De acordo com a técnica agropecuária da Emater/RS-Ascar, Lídia Margarete Muller Dhein, os produtores vão ter um bônus de 80% do valor do financiamento. “A máquina custou um pouco mais de R$ 3 mil e vão ter que pagar apenas 20% do valor. Alguns produtores ainda adquiriram outros materiais e equipamentos como a sombrite e material para irrigação. O tratorito é usado para preparar o terreno, fazer canteiros e deixar tudo pronto para o plantio. É um estímulo para produzir ainda mais, de uma maneira mais tranquila e confortável. Eles participam do grupo da alimentação escolar e tinham necessidade de melhorias. Todos fazem uma produção agroecológica”.

A produtora Lourdes Scharb, da Linha Leopoldina, é feirante e coordenadora do grupo. Ela já tem duas grandes hortas e vai fazer mais uma para conseguir atender toda a demanda. “Eu planto tudo o que é tipo de hortaliças para entregar na merenda escolar e vender na feira. Com toda certeza, o tratorito é um benefício, pois conseguimos plantar mais alimentos que trazem benefícios para nós, para o município e pra humanidade, já que não usamos nada de produtos químicos”.

Ela ainda ressalta a necessidade de uma boa alimentação. “As pessoas precisam comer algo saudável, principalmente as crianças, que são o nosso futuro. É satisfatório alimentá-las com produtos saudáveis e isso também é bom para a nossa própria alimentação. Eu tenho 56 anos e meu marido tem 62 e nós não temos problemas de colesterol, diabetes ou pressão alta. Eu acredito que isso vem de uma alimentação saudável”.

Elas ainda destacam a preocupação do município com a alimentação nas escolas. “É fantástico o trabalho que as merendeiras fazem, pois incentivam as crianças a comer e crescer saudáveis. No último encontro do grupo, as merendeiras participaram para falar sobre a chegada e o aproveitamento das hortaliças na merenda. Elas comentaram que o produto não chega machucado e tem o dobro do volume do que adquiriam antes”, ressalta Lourdes.

Oito produtores fazem parte do grupo. São eles: Cesar Cardoso, Nelson Goldmeier, Irene Danebrock, Christina Horst, Elias Müller, Harri Luckemeier, Edeli Gatermann e Lourdes Scharb.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...