Produtores de Capitão participam de capacitação em Piscicultura

Um grupo de cerca de 20 produtores de Capitão tem participado, desde o mês de julho, de uma série de capacitações sobre Piscicultura. O terceiro encontro, ministrado pelo assistente técnico regional em Piscicultura da Emater/RS-Ascar, zootecnista João Sampaio, foi realizado na última terça-feira, dia 19, na Câmara de Vereadores. Na ocasião também houve atividade prática, na propriedade do produtor Guido Kühn, na sede do município, com temas relacionados ao manejo da água, com ênfase na qualidade e na manutenção das características físico-químicas dos açudes em sistemas semi-intensivos de produção.

Como forma de promover a troca de conhecimentos, cada piscicultor falou a respeito da temperatura, do pH, da transparência e da cor de seus viveiros, a partir de verificações feitas previamente. Por meio dos relatos, foi possível trabalhar melhor as recomendações técnicas que resultarão em açudes com um maior equilíbrio de nutrientes, acidez corrigida, com correta adubação e livres de infecções. Para Sampaio, por mais que cada piscicultor tenha uma realidade diferente, as recomendações básicas são semelhantes. “E, independentemente da experiência do piscicultor, sempre haverá algum detalhe que qualificará a sua produção”, diz.

Um dos participantes foi o piscicultor Ivo da Costa, da localidade de Marinheiros. Com quatro açudes, totalizando 15 mil metros quadrados de lâmina de água, o produtor mantém, em sua propriedade, um espaço voltado ao lazer. No local, os visitantes podem pescar e levar peixes como carpas capim e húngara, além de traíras e jundiás. “Por ano são comercializadas cerca de quatro toneladas de pescado, no local”, ressalta. Mesmo com a experiência de mais de dez anos na atividade, o produtor valoriza as capacitações. “São conhecimentos específicos que têm grande significado para o incremento da produção”, analisa.

Situação diferente vive o jovem Lucas Biasibetti, de apenas 18 anos, morador da localidade de Sete Estradas – Picada Centro. Na propriedade, ao lado dos pais, possui um açude com uma grande variedade de espécies. “No local temos carpa capim, jundiá, cascudo e outros, que utilizamos para o consumo da família”, diz. Tendo a suinocultura como a principal atividade da família, Lucas ressalta que foi o pai o incentivador para que participasse das capacitações. “Queremos qualificar a produção de peixes para, quem sabe, torná-la também uma fonte de renda”, ressalta.

De acordo com Sampaio, Capitão tem um projeto para a implantação de uma agroindústria de pescados. “Ocorre que o volume de produção, atualmente, ainda é pequeno para comportar esse tipo de empreendimento havendo, assim, a necessidade de qualificar a produção, o que possibilitará esse incremento”, ressalta. Hoje, são 35 piscicultores que comercializam, via talão do produtor, 15 toneladas de pescados ao ano. O próximo encontro ocorre no dia 2 de setembro, no mesmo local. A atividade tem o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS) e da Câmara de Vereadores.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...