Produtores agroecológicos do Vale do Taquari receberão recursos da SDR

A Articulação em Agroecologia do Vale do Taquari (AAVT) – em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS) e a Emater/RS-Ascar – realizou na manhã da última sexta-feira, dia 31, encontro, no Parque Histórico de Lajeado, para definições a respeito da aplicação de recursos voltados a unidades demonstrativas de produtores agroecológicos. Serão R$ 70 mil reais, obtidos por meio do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper), que beneficiarão mais de 10 agricultores familiares dos municípios de Arroio do Meio, Arvorezinha, Capitão, Colinas e Lajeado.

Por meio dos projetos, serão implantadas unidades demonstrativas em fruticultura, olericultura, agricultura de base ecológica e agregação de valor em propriedades de agricultores familiares, com o objetivo de promover a diversificação e os sistemas agroecológicos, gerando renda e possibilitando a sucessão familiar na propriedade. Os recursos poderão ser utilizados na implantação de pomares ou de hortas agroecológicas, na aquisição de insumos, como compostos orgânicos e biofertilizantes, ou mesmo para a compra de equipamentos voltados à armazenagem de produtos, à melhorias dos sistemas de conservação da água e à destinação de efluentes.

No caso do produtor Leonardo Tomazi, da localidade de Linha Sexta, Arvorezinha, o objetivo será o de implantar um parreiral de uvas agroecológicas de mesa. “Hoje, ainda trabalhamos no sistema convencional, com uvas para consumo próprio e para a produção de vinhos coloniais” enfatiza Tomazi. Mas o objetivo do jovem de 27 anos e de sua família – ele mora com os pais, irmão, tio e avô – é fazer a transição. Situação que deverá ser consolidada com o investimento de cerca de R$ 5 mil, que permitirá a estruturação de um pequeno parreiral. “Este é um investimento que tem a ver não apenas com a nossa saúde, mas também com o bem-estar dos consumidores”, avalia.

Já as produtoras Lenira Helena Arnhold e Maria Weide, da localidade de Forqueta, Arroio do Meio, têm objetivos diferentes. Produtoras de olerícolas – como alface, repolho, couve, pepino, cenoura, beterraba, entre outras – investirão em infraestrutura para as suas propriedades. No caso de Lenira, o objetivo será a aquisição de uma carreta agrícola, que facilitará o transporte dos produtos. A produtora Maria adquirirá um tanque para a reservação da água, o que melhorará o sistema de irrigação. “São pequenos investimentos que, para nós, são de extrema importância” enfatiza Maria.

Para o coordenador regional da SDR/RS, Mauro Stein, um dos pontos importantes desse tipo de aporte financeiro, envolve a forma de pagamento da dívida. Para os produtores que quitarem os valores até a data do vencimento, haverá bônus adimplência de 80%. “Isto sem contar o prazo de carência, já que os produtores que investirem em fruticultura poderão começar a pagar em até três anos e os agricultores que trabalharem a parte de olerícolas, em até um ano”, exemplifica.

Durante o encontro, também houve atualização, por parte dos técnicos da Emater/RS-Ascar, em relação aos projetos selecionados no ano passado, em andamento, que beneficiaram 29 agricultores, com o valor total de R$ 80 mil. O próximo passo, de acordo com o assistente técnico regional (ATR) da Emater/RS-Ascar em Fruticultura, Derli Bonine, será a definição de todos os produtores que serão contemplados por projetos de 2014. Algo que deve ocorrer até a próxima reunião da AAVT, que será realizada no dia 26 de fevereiro, no município de Progresso. A partir dessa data, os projetos começam a ser encaminhados.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...