Produtor de Taquari aposta no cultivo da uva e mantém parceria com empresa da serra

A cada início de ano, duas épocas especiais costumam se aliar no Rio Grande do Sul: o verão e o começo da colheita da uva. Sob forte calor, produtores dos mais variados lugares do Estado empilham caixas da fruta e, em alguns casos, repassam sua produção para empresas voltadas à fabricação de vinhos, sucos e derivados. Em Costa do Capivara, interior de Taquari, Nilson da Silva Pedroso é parceiro da Tecnovin, empresa que atua em diversos segmentos de indústrias alimentícias.

Vindo de Fontoura Xavier, noroeste do Estado, Nilson também passou a conviver com as laranjas em Taquari a partir de 1991. Ao lado das parreiras hoje existentes na propriedade é possível avistar inúmeros pés de laranjeiras que, segundo o produtor, somam 20 hectares. “Na época, o plantio da uva começou logo depois do da laranja. Atualmente temos uma área plantada de 17 hectares”, conta Nilson, que possui cinco funcionários fixos. Segundo ele, o número de contratados aumenta no período de colheita. “No auge da safra trabalhamos com mais de dez pessoas. Neste ano pretendemos ultrapassar 200 toneladas de produtividade”, afirma.

Além do transporte da uva, a empresa de Bento Gonçalves fornece condução aos funcionários taquarienses. Na tarde da segunda-feira, dia 2, o secretário da Agricultura, Romacir Martins, acompanhou o trabalho de Nilson e verificou as condições estruturais do local. Para o secretário, fomentar essa atividade dentro do município é de suma importância. “Devemos auxiliar todas as culturas que nascem em Taquari, e com a uva não é diferente. Esse diálogo, que possibilita desde uma estrada melhor até a geração de empregos, serve como base para o trabalho que a administração e a secretaria vêm fazendo”, destaca Romacir.

Safra de 2015 deve permanecer na média

A previsão para a safra de 2015 no Rio Grande do Sul, Estado conhecido por ser o maior produtor de uvas viníferas do país, é permanecer na média, em termos de qualidade e quantidade. As mudanças no clima ocorridas no último ciclo de brotação, iniciado no inverno passado, geraram frutas com graduação de acidez e açúcar razoável.

Variedades como Chardonnay, Pinot Noir e Riesling, utilizadas para a produção de espumantes, também estão sendo colhidas e entregues nas vinícolas da serra gaúcha. Essas estão com a acidez acentuada, fator considerado positivo para o produto final. A expectativa é de que a safra siga o padrão anterior, quando foram colhidos 812,5 milhões de quilos de uva no Estado. Em 2014, a área plantada no Rio Grande do Sul foi de 51 mil hectares, sendo 4,7 mil hectares em Bento Gonçalves. A temporada de colheita da fruta foi aberta em 15 de janeiro, no distrito de São Pedro, na serra gaúcha.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...