Procetube: Valorização do leite saneado é meta da Seapa

O secretário estadual de Agricultura Pecuária e Agronegócio (Seapa), Luiz Fernando Mainardi, reuniu-se com as indústrias compradoras de leite nos municípios do projeto piloto nacional da Comarca de Arroio do Meio (RS) de saneamento de todos os bovinos da área geográfica municipal. A reunião ocorreu com base no Programa de Controle e Erradicação da Tuberculose e Brucelose bovídea do RS – Procetube/RS, da Seapa e do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal – PNCEBT, do Mapa.

Segundo Mainardi, a Seapa irá empenhar-se “para que os produtores tenham uma justa remuneração; as indústrias recebam matéria prima mais qualificada; o consumidor, derivados lácteos mais especializados, e passarmos a ser importantes players do mercado externo”. Acrescentou ser importante “cuidar para que também os municípios que aderirem ao saneamento bovino recebam algum incentivo para compensar seu investimento nos trabalhos”.

Qualificação

O encontro decorre do entendimento de que os produtores, com as propriedades saneadas oficialmente, devam começar a sentir, na conta leite, algum benefício pela matéria prima especial que oferecem. Por outro lado, é importante que os municípios participantes da iniciativa sejam favorecidos por programas do governo, compensando sua iniciativa pioneira e os investimentos que realizam no saneamento bovino.

A existência de matéria prima saneada quanto à tuberculose e brucelose é a exigência básica dos mercadores internacionais de primeira grandeza, compradores de lácteos. O mercado nacional, que têm potencial significativo de expansão no consumo de derivados do leite, será ampliado a partir de matéria prima com mais esta qualificação, permitindo às empresas de laticínios agregar maior valor aos seus produtos. A cadeia produtiva do leite caminha para a especialização e qualificação idênticas às das cadeias de suínos e frangos, para atrair cada vez mais o gosto dos consumidores nacionais internacionais.

Saneamento

Segundo Ardêmio Heineck, coordenador do “Projeto Vale dos Lácteos”, iniciado no Vale do Taquari em 2007 em parceria com a Galícia/Espanha, “projeta-se que, em alguns anos, não haja mais espaço para o leite não saneado. As indústrias, com justa razão, já estimulam o saneamento das propriedades dos seus grandes produtores. Deve, então, partir de uma ação de governo, em todos os níveis (federal, estadual e municipal) que, com o saneamento de toda a área geográfica municipal, seja democratizado o acesso de todos os produtores a este status sanitário dos bovinos leiteiros”.

Adesão

As indústrias representadas no encontro apoiaram a iniciativa. Algumas já vêm pagando de R$ 0,01 à R$ 0,02 a mais por litro de leite saneado. Com a iniciativa agora liderada por Mainardi, mais municípios devem aderir, aumentando o volume de leite saneado captado, projeta Heineck. Assim, as laticínios poderão fabricar derivados lácteos que venham a receber, num prazo curto, o selo de sanidade, valorizando-se junto ao mercado consumidor. A Seapa recebeu cartas de adesão de 16 novos municípios manifestando interesse em entrar no Procetube.

Também estiveram presentes ao encontro o secretário adjunto da Seapa, Cláudio Fioreze, o coordenador da câmara setorial do leite do RS, João Milton Cunha, e as indústrias BRFoods, Cooperativa Languiru, Laticínios Hollmann, Quinta do Vale, Lat Vida e Promilk.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...