Processamento de pescado é tema de curso em Bom Retiro do Sul

O município de Bom Retiro do Sul realizou, entre quinta e sexta-feira, dias 13 e 14, na propriedade do produtor José Décio Kepler e no Sítio Moinhos do Campo, um Curso de Processamento de Pescado. A atividade reuniu agricultores familiares e empreendedores rurais, com o objetivo de desenvolver o hábito de incluir o peixe na alimentação das famílias e também estimular o potencial turístico por meio do consumo de pescados. A atividade foi organizada pela Emater/RS-Ascar, com o apoio das secretarias de Agricultura; Esporte, Turismo e Lazer e Saúde e Ação Social.

De acordo com o assistente técnico regional em Piscicultura da Emater/RS-Ascar, João Sampaio, o curso foi uma espécie de versão reduzida da atividade que é oferecida aos agricultores no Centro de Formação de Agricultores de Montenegro (Cetam). Na ocasião foram repassadas aos participantes, noções a respeito da limpeza dos peixes, tipos de cortes, conservação dos pescados, valor nutricional e receitas. “Sem esquecer-se de ressaltar, em cada uma das etapas, a importância da piscicultura para o abastecimento e para a segurança alimentar dos produtores”, enfatiza.

O piscicultor Luis Osvaldo Fink, da localidade de Linha Glória, valorizou a atividade, pela possibilidade de ampliar os conhecimentos a respeito do tema. “O que eu noto é que, em muitos casos, deixamos de fazer peixe, por não saber como cozinha-lo”, explica. Com o curso, percebeu a versatilidade do pescado, que pode ser oferecido frito ou mesmo como parte de uma lasanha ou de outros pratos mais elaborados. “Fora o fato de ser uma alternativa saudável e nutritiva”, lembra o agricultor, que costuma consumir peixes pelo menos uma vez a cada duas semanas.

Em sua propriedade, possui cinco açudes, onde cria carpas capim, húngara, cabeça-grande e prateada em sistema semi-intensivo. No local comercializa os peixes em pequenas feiras feitas na propriedade mesmo. “Por ano vendo em média duas toneladas de pescados por ano, que são vendidos a cerca de R$ 6 o quilo”, observa. Preocupado com a diversificação, Fink também trabalha com suínos e bovinos de leite, além da produção de grãos e de erva-mate. Para ele, o homem do campo não pode ficar refém de apenas uma cultura. “E se der ‘zebra’ em alguma delas”, pergunta.

Para o produtor Sadi Antoniolli, a principal atividade no campo envolve a produção e olerícolas como tomate e pepino. Ainda assim, não abre mão da piscicultura em sua propriedade, na localidade de Pinhal. “Possuo quatro açudes, dois em Bom Retiro do Sul e dois em Fazenda Vilanova onde comercializo cerca de 400 quillos de carpas ao ano”, explica. Além do cultivo dos peixes adultos, Antoniolli se envolve com a produção de alevinos, tendo a ideia, para o futuro de se profissionalizar ainda mais na área. “E para isso a participação em cursos e atividades é importante”, analisa.

A atividade contou também com a participação do prefeito de Bom Retiro do Sul, Pedro Aelton Wermann; do gerente regional da Emater/RS-Ascar de Lajeado, Luiz Bernardi e do supervisor da Emater/RS-Ascar, Álvaro Mallmann, além das extensionistas Sandra Rieth e Letícia Mairesse.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...