Primeira diretoria da Associação de Meliponicultores do VT é empossada

A primeira diretoria da Associação de Meliponicultores do Vale do Alto Taquari (Amevat) foi empossada na noite da última quarta-feira, dia 11, em evento realizado no auditório do Jardim Botânico de Lajeado. Na presença de diversas autoridades estaduais, regionais e locais, assumiu a presidência o empresário e produtor de abelhas nativas sem ferrão, Hugo Schmidt. Na ocasião também foram empossados o vice-presidente Oderno Alberto Theves, bem como secretários, tesoureiros e integrantes do conselho fiscal e da diretoria técnica.

Primeira entidade do gênero criada no Estado, a Associação, que conta com mais de 50 meliponicultores, tem como objetivo geral trabalhar pela preservação das abelhas nativas sem ferrão. “Esta é uma atividade que tem ganhado cada vez mais adeptos nos últimos anos, seja por meio da realização de cursos, encontros ou palestras ou mesmo de seminários regionais que, hoje, congregam, a cada edição, mais de 500 adeptos”, afirmou Schmidt, referindo-se ao último evento do gênero, realizado no ano passado em Venâncio Aires.

O presidente ressalta ainda que a associação não visa ao lucro, tendo como objetivos maiores divulgar técnicas corretas de manejo, promover o intercâmbio, realizar cursos, colaborar com a natureza, trabalhar pela desburocratização das legislações vigentes e, na medida do possível, gerar alguma renda para as famílias participantes. “Pouca gente sabe, mas mais de 75% dos vegetais são polinizados pelas abelhas, sendo fundamental a sua presença para um ambiente mais saudável”, salienta o empresário.

O presidente da Federação Apícola do Rio Grande do Sul (Fargs), Aldo Machado dos Santos, disse ser um dia histórico para todos os envolvidos na criação da entidade. Para exemplificar a importância das abelhas na natureza, explicou que a cada quilo produzido de mel correspondem a 200 quilos de frutos e sementes polinizados. “As pessoas não se dão conta de que se não tiver uma abelha para polinizar a alfafa, os bovinos não comem e se eles não comem não há crescimento e muito menos carne e leite para o homem”, observou.

O assistente técnico regional em Apicultura e Meliponicultura da Emater/RS-Ascar, engenheiro agrônomo Paulo Conrad, reforçou a ideia de que a criação de abelhas sem ferrão é muito mais um hobby que garante a polinização das plantas do que um investimento voltado ao retorno comercial. Para Conrad, o meliponicultor nunca pensará exclusivamente em ganhar dinheiro. “Pensará muito mais na importância da manutenção do meio ambiente e em um tipo de atividade que alimenta muito mais a alma do que o bolso” pondera.

O agrônomo também ressaltou que parte técnica também terá importância, dentro das atribuições da diretoria. “Como, atualmente, as pesquisas na área praticamente inexistem, a entidade também terá o objetivo de promover o intercâmbio entre os criadores que, afinal, são quem detêm o conhecimento, gerado pelos meliponicultores através de suas observações e de trocas de experiências” salienta Conrad. Aspectos relativos à legislação que, hoje, atua com certo rigor, também serão abordados. “Como entidade, poderemos estar presentes neste tipo de debate”. Para o futuro também não se descarta a criação de um entreposto para o processamento de mel, de forma legalizada.

Por ocasião do evento, o produtor de abelhas se ferrão Valmir Pedro Züge entregou, em nome da associação, uma proposta com sugestões para normatização da atividade da Meliponicultura, com uma síntese dos pontos que acreditam importantes dentro de um processo de regularização. A carta foi entregue a Aldo Machado dos Santos e ao diretor do Departamento de Agricultura Familiar da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR/RS). No Jardim Botânico, de forma simbólica também foi plantada uma muda de araçá amarelo e instalada uma caixa com abelhas sem ferrão. Também participaram da atividade outras autoridades, como o prefeito de Lajeado, Luiz Fernando Schmidt; o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Luiz Bernardi.

Diretoria da Amevat para a gestão 2014/2016

Presidente: Hugo Schmidt
Vice-presidente: Oderno Alberto Theves
Secretária: Andreia Binz
Vice-secretário: Maicon Fabrício Patzlaff
Tesoureiro: Rodrigo Boiarski
Vice-tesoureiro: Juliano Schneider
Conselho Fiscal: Lasiê Amauri Delazeri, Airton Lamm e Ismael Scheren. Suplentes: Luis Eduardo Kramer, José Dalla Vecchia e Ari Antônio de Conto.
Diretoria Técnica: Diretor Técnico Paulo Conrad e vice-diretor técnico Valmir Züge.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...