PRF e Dnit discutem limites na BR-386

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) volta a se manifestar a respeito dos limites de velocidade na BR-386. Com mais de 35 mil multas aplicadas contra motoristas que extrapolaram a margem permitida pela sinalização, a corporação tenta implantar mudanças junto com o Dnit, principalmente em trechos duplicados da rodovia. Líderes regionais também apoiam o aumento em alguns pontos.

Técnicos do Dnit e da PRF já iniciaram algumas avaliações de trechos. O objetivo é identificar trajetos onde pode haver aumento ou redução da velocidade permitida. Até o momento, não há previsão para implantar as mudanças. A última alteração ocorreu em fevereiro de 2012, quando o departamento autorizou o aumento de 60 km/h para 80 km/h no trecho duplicado de oito quilômetros entre os Lajeado e Estrela.

Conforme o inspetor da 4ª Delegacia da PRF, Adão Vilmar Madril, já é possível aumentar para 100 km/h o novo trecho duplicado da rodovia. “A grande maioria dos veículos já trafega nesta velocidade entre Lajeado e Canoas. Acreditamos que isto possa ser autorizado com tranquilidade em alguns pontos.”

Ele comenta que a grande maioria das 35 mil multas registradas no trecho de 250 quilômetros abrangidos pela 4ª DPRF é de veículos acima dos 100 km/h. Mesmo assim, acredita que a liberação para que os motoristas trafeguem só até este limite deve diminuir o número de infrações. “É uma velocidade compatível com a segurança e a boa pavimentação da via. E hoje os veículos estão mais seguros em relação há décadas passadas.”

Madril fala sobre a possibilidade de aumentar ainda mais o limite, chegando a 110 km/h, assim como na BR-290, mais conhecida como free way. No entanto, acredita que isso deve ocorrer somente após novas obras de segurança no trecho duplicado. “A BR-290 não possui acessos possibilitando que veículos cruzem a rodovia, e isso é um grande problema na BR-386. Por isso, acho que neste momento é inviável passarmos de 100 km/h.”

Hoje, diferente de anos anteriores, a PRF pode solicitar ao Dnit o aumento de velocidade sem necessitar de um laudo técnico. A nova medida passou a vigorar no início de 2012. Antes disso, a burocracia atrasava as modificações sugeridas pelo órgão de segurança. “Nossa intenção é sensibilizar o departamento quanto à necessidade de atualizar, dentro das novas condições de pista e veículos, os limites em alguns trechos da rodovia federal.”

CIC-VT apoia aumento do limite

A Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT) pleiteia há anos o aumento da velocidade em alguns trechos duplicados da BR-386, principalmente aqueles onde há poucas indústrias e residências instaladas nas margens. Desde o ano passado, quando alguns trajetos da obra entre Tabaí e Estrela foram liberados para o tráfego, a CIC reivindica essa alteração.

“Existem rodovias estaduais de pista simples com limites maiores do que a nossa rodovia. Não faz muito sentido isso. Queremos participar desta discussão”, afirma o presidente da entidade, o empresário Ito Lanius. Segundo ele, representantes da CIC que também fazem parte do conselho da EGR já planejam visitas à estatal para dialogar sobre a possibilidade de alterações em trechos estaduais.

Lanius alerta para os cuidados redobrados a partir de um possível aumento do limite. Cita também a importância de diminuir a velocidade permitida em alguns trechos urbanos da BR-386, onde há grande fluxo de pedestres e acessos municipais. Para ele, é importante precisar os impactos sociais, econômicos e de segurança no momento de tomar qualquer decisão.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...