Presidente Bayer e vice Kreimeier reeleitos para novo mandato na Languiru

Na manhã do último sábado, dia 12, a Cooperativa Languiru, de Teutônia, realizou Assembleia Geral Ordinária. Tendo por local o Salão Social da Associação dos Funcionários da cooperativa, o evento contou com a participação de cerca de 200 pessoas, entre associados, colaboradores, autoridades e representantes de entidades parceiras.

Com a terceira e última convocação às 8h30min, as boas-vindas foram dadas pelo presidente Dirceu Bayer, que ressaltou a importância dos associados na tomada de decisões da cooperativa. “Primamos sempre pela transparência, pelo diálogo, pela união de esforços. O cooperativismo é um ato de democracia no dia a dia”, frisou.

Bayer ainda falou do atual momento econômico nacional e da grande variação cambial. “Nesse cenário controverso da economia brasileira, precisamos nos unir a favor de uma causa maior, que é a nossa Cooperativa Languiru”, afirmou.

O vice-presidente Renato Kreimeier seguiu a ordem do dia, com apresentação do demonstrativo técnico, cujos dados puderam ser acompanhados pelos associados no telão e no Relatório de Atividades 2015, material especial impresso e distribuído na recepção da assembleia. “A Languiru cresceu muito nos últimos anos, possui uma grande diversidade produtiva e atua nos mercados nacional e internacional, oferecendo produtos de qualidade. Ao longo dos anos trabalhamos muito na busca constante pela profissionalização de todos os setores”, disse, apresentando números do desempenho de cada setor da cooperativa.

Sobre a crise econômica do país, Kreimeier classificou o exercício de 2015 como extremamente desafiador. “Foi um ano em que a gestão foi essencial. Nesse processo, realizamos readequações na cooperativa, medidas adotadas para enfrentar as dificuldades apresentadas. Com muito profissionalismo, as medidas de austeridade deram retorno e, com isso, chegamos à assembleia para apresentar bons resultados aos nossos associados, os donos da Cooperativa Languiru”, ressaltou.

Dados econômicos e financeiros

Bayer deu continuidade à ordem do dia com apresentação do demonstrativo do desempenho econômico da Languiru. “É motivo de muito orgulho podermos apresentar o crescimento da Languiru nos últimos anos. Temos um gráfico ascendente no que se refere ao faturamento bruto, alcançando R$ 1,128 bilhão. O ano de 2015, apesar de todas as dificuldades, consolida a Languiru como a terceira maior cooperativa de produção do Rio Grande do Sul”, anunciou.

Para o presidente, todo esse desempenho e crescimento exige um grande esforço de todos os envolvidos. “É um trabalho forte de gestão, de comprometimento de toda a equipe de colaboradores e dos nossos associados”, acrescentou.

Entre outros números, o presidente ainda frisou os R$ 46,7 milhões de investimentos realizados no último exercício, com destaque para as negociações com o Supermercado do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Arroio do Meio, aquisição e obras no novo Centro de Distribuição Vale do Taquari, instalado em Teutônia, além de obras de adequação e atendimento às exigências de legislação nas unidades industriais da cooperativa.

No que se refere ao volume de exportações, o ano de 2015 bateu recordes e representou mais de R$ 143 milhões (em 2014 foram R$ 76 milhões). “As exportações reagiram bastante no último ano com a variação cambial e valorização do Dólar. A previsão para 2016 é seguir crescendo em volumes de exportação. Estamos muito atentos aos cenários, nos reinventamos diariamente. Precisamos de uma capacidade gerencial muito grande para controlar toda a diversidade de negócios da Languiru”, afirmou Bayer.

Balanços

O assessor administrativo da cooperativa, Mário Stockmann, apresentou indicadores técnicos, como os balanços patrimonial ativo e passivo, além das demonstrações contábeis e sobras do último exercício. O faturamento bruto da Languiru em 2015 alcançou R$ 1,128 bilhão e o resultado líquido foi de R$ 11,6 milhões. “A cooperativa continua crescendo, assim como os nossos associados. Graças aos investimentos realizados ao longo dos últimos anos, a Languiru conta com um dos parques industriais mais novos no Rio Grande do Sul. E tudo isso só foi possível com o apoio de associados, colaboradores e clientes, que acreditam no trabalho da cooperativa. Foi um dos melhores anos em geração de caixa, fruto das medidas tomadas em 2015”, afirmou.

Num comparativo entre 2014 e 2015, a cooperativa apresentou crescimento superior a 16% no período. A expectativa para o resultado de 2016 é de que o percentual de crescimento fique em torno de 10%, chegando a R$ 1,2 bilhão em faturamento bruto, conforme adiantou o assessor administrativo Silério Hamester na apresentação de projeções da Languiru para este ano, cujo volume de investimentos, principalmente em automação de processos industriais, deve chegar a cerca de R$ 20 milhões.

Distribuição das sobras

Ainda em regime de Assembleia Geral Ordinária, Bayer conduziu a votação da destinação das sobras do exercício. “O quadro social merece este retorno, a distribuição de sobras é uma forma de valorizar a confiança que os associados depositaram na cooperativa nesses anos todos. Assim como a Languiru cresceu nos últimos anos, os associados também têm a possibilidade de crescer juntos”, disse.

A proposta apresentada e aprovada pelos associados terá incremento no percentual de retorno financeiro da conta-movimento (que considera percentual de retorno conforme compras nas unidades comerciais e industriais e entrega da produção à cooperativa), com o valor restante à disposição dos associados em forma de recurso financeiro e que será entregue a partir do mês de abril, com agenda em ordem alfabética. Além disso, outro percentual das sobras ainda será reinvestido na conta capital de cada associado. Ao todo, serão devolvidos aos associados da Languiru mais de R$ 4 milhões.

Eleição e posse dos novos Conselhos de Administração e Fiscal

Por fim, após leitura dos pareceres favoráveis da auditoria independente e do Conselho Fiscal, ocorreu eleição e posse dos novos integrantes dos Conselhos de Administração e Fiscal, cujo mandato será até a Assembleia Geral Ordinária de 2020, exceto para o Conselho Fiscal, que possui renovação anual.

Com o registro de chapa única, o presidente Dirceu Bayer e o vice-presidente Renato Kreimeier foram reeleitos. Como secretário foi eleito o associado Roque Silvio Schneider. Os conselheiros efetivos são Aldo Bortolo Pedrussi, Flávio João Walter, Erni Germano Lautert e Lotario Dickel, tendo como suplentes Diego Augusto Dickel, Renato Aschebrock, Jonas Rafael Schneider e Jair Duarte de Vargas.

O Conselho Fiscal eleito é composto pelos efetivos Eliseu Wahlbrinck, Valério Trapp e Zilmar Rutz, tendo como suplentes Valmir Günter Osterkamp, Marco Alexandre Klafke e Romeu Drebes.

Bayer e Kreimeier agradeceram o voto de confiança. “A Languiru é muito grande e precisamos da mobilização de todos. Obrigado por confiarem no nosso trabalho. Assumimos com a responsabilidade de buscar uma Languiru cada vez mais saudável. Temos um futuro promissor para a cooperativa e apostamos muito na sucessão na Languiru e nas propriedades rurais de nossos associados”, disse o presidente. “Estamos todos juntos, a Languiru possui um nome forte a ser preservado. Com ferramentas de gestão, queremos a melhor cooperativa para nossos associados”, acrescentou o vice-presidente.

Apoio

Integrando a mesa principal da assembleia, o associado e vice-prefeito de Westfália, Otávio Landmeier, se disse satisfeito com os números apresentados. “Sigam com este trabalho sério, controlando todas as ações na Languiru. Se hoje vivemos numa região próspera, muito se deve ao trabalho das nossas cooperativas”, afirmou.

Os presidentes das cooperativas coirmãs Sicredi Ouro Branco, Silvo Landmeier, e Certel, Erineo Hennemann, também elogiaram o trabalho da Languiru.

“O cooperativismo é fundamental para o desenvolvimento da sociedade e qualidade de vida da população. A Languiru é nossa maior consumidora de energia elétrica, transformando-a em produtos e alimentos de qualidade, um verdadeiro exemplo de otimização de recursos”, disse Hennemann.

“Apesar das dificuldades de 2015, a Languiru segue firme, com uma grande infraestrutura produtiva. Esse desempenho anima os produtores rurais a seguirem com suas atividades no campo, e isso nos permite acreditar no trabalho cooperativo”, acrescentou Silvo Landmeier.

Encerradas as formalidades, ainda houve espaço para manifestação de associados, parceiros e convidados.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...