Porto deve receber plataforma logística

A Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra) planeja investimentos no Porto Fluvial de Estrela. Na última quinta-feira, dia 21, durante audiência na Câmara de Vereadores, o governo anunciou a intenção de construir uma plataforma logística no entroncamento hidro-rodo-ferroviário localizado às margens do Rio Taquari. Estudo de viabilidade deve ficar pronto em até 90 dias. Investimento total não foi divulgado.

O Estado demonstra interesse em conceder esse centro integrado de transportes e distribuição para a iniciativa privada. Conforme o secretário da Seinfra, João Victor Domingues, o controle operacional do porto seguirá com o Estado, assim como ocorre em Porto Alegre, Pelotas e Rio Grande.

Domingues garante que há contatos preliminares de empresários interessados em assumir parte da estrutura. Entre eles, diretores da Terminal Multiusos de Beato (TMB), multinacional portuguesa que esteve no ano passado no município. “O poder público cede área para a empresa. Como contrapartida, o empresário reverte valor ao Estado, que o reutiliza na manutenção do porto.”

Ele cita como exemplo o Porto de Pelotas. No início do mês, a Seinfra assinou dois contratos com empresas privadas, visando a manutenção e movimentação da estrutura portuária. O primeiro deles, com a CMPC Celulose Riograndense, para melhorar o acesso à zona portuária. A empresa doará o projeto da obra ao Estado, que deve realizar a obra com recursos da União. Com as melhorias, a empresa pretende embarcar o produto final com destino a Rio Grande. Pagará uma taxa para isto.

O outro convênio foi firmado com a empresa coreana, Oxnaval, especializada em manutenção de embarcações pesqueiras e de médio porte. Ela vai operar na transposição do pescado para contêineres refrigerados. O documento firmado entre governo e iniciativa privada autoriza a empresa à operação de seis navios no cais. Rodrigues não soube precisar valores envolvidos.

Todas as negociações passam pela Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH), órgão ligado à Seinfra, e que será responsável pela direção do Porto de Estrela. O representante, Arlindo Boneti Pereira, cita a importância do modal hidroviário. Conforme ele, 99% do abastecimento de sal no Estado é realizado por meio de embarcações, assim como quase 70% do gás. Só em 2013, foram mais de cinco milhões de toneladas movimentadas.

R$ 12 milhões em dragagem

O secretário anuncia para os próximos dias um investimento de até R$ 12 milhões na dragagem dos rios Taquari e Gravataí. O serviço consiste na retirada de materiais do fundo do manancial, para tentar aumentar o calado e melhorar a navegação das embarcações. “Também vamos investir em sinalização, evitando riscos às transportadoras.” Hoje, o Rio Taquari tem 87 quilômetros de trecho navegável com calado de 2,5 metros.

Domingues também confirma investimento de R$ 18 milhões do governo federal, por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A intenção é duplicar a capacidade do armazém e do silo existentes na área do porto fluvial. “Vamos pedir para que o nosso Plano Estadual de Logística comece por Estrela, além de buscarmos melhores soluções de acesso à estrutura.”

“Sugerimos o controle pela iniciativa privada”

Assim como o prefeito de Estrela, Rafael Mallmann, outros líderes regionais defendem o controle pela iniciativa privada. Presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Cíntia Agostini, endossa a opinião do chefe do Executivo. “É importante essa reaproximação, mas ainda sugerimos a privatização do espaço.” A mesma opinião tem o representante da Câmara de Indústria e Comércio de Estrela (Cacis), Henrique Purper.

O convênio assinado na semana passada com a União terá validade de dois anos. Neste prazo, o governo estadual precisa constituir uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) com a finalidade de desempenhar, de forma exclusiva, as atribuições de administração do porto. A empresa pública será semelhante à EGR. Até lá, a SPH será responsável pela manutenção portuária.

Promessas renovadas

O evento que deveria tratar sobre questões pertinentes ao porto também teve cunho eleitoral. Durante quase 25 minutos, o secretário da Seinfra criticou governos anteriores e divulgou obras da atual gestão. Luiz Carlos Bertotto, presidente da EGR, também utilizou o espaço para falar sobre investimentos realizados e serviços previstos pela estatal nas rodovias pedagiadas.

Domingues aproveitou ainda a presença de líderes regionais e comunidade para renovar promessas de asfaltamento em acessos municipais. Segundo ele, a ordem de serviço para reiniciar as obras na VRS-482, entre Capitão e Arroio do Meio, será oficializada na próxima quinta-feira. Os demais investimentos, previstos para Travesseiro e Coqueiro Baixo, devem iniciar em até 25 dias.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...