Pedágios: Fórum das Entidades apoia posição do Codevat

Em reunião realizada na Acil, entidades empresariais e sociais admitem a volta dos pedágios como forma de viabilização da concessão da BR 386 à iniciativa privada. Porém, enfatizam a necessidade de que o processo seja todo feito com total transparência e que o governo continue investindo na duplicação da rodovia.

Lajeado – O Fórum das Entidades Empresariais e Sociais de Lajeado, formado por 14 organizações, apoia a posição do Codevat com relação à questão da definição da forma de concessão de exploração, pela iniciativa privada, da BR 386 e a consequente e possível implantação de pedágios ao longo da rodovia. O grupo de lideranças reunido na manhã desta terça-feira (21.02), na Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil), admite a volta dos pedágios, desde de que seja tudo feito com transparência e que pelo menos parte dos recursos gastos hoje pelo governo federal, na manutenção da rodovia, seja também investido em obras de duplicação, dentre outros critérios.
A presidente do Codevat, Cintia Agostini, considera como importante o reforço do apoio da classe empresarial para que haja “a construção mais madura de nossa posição em relação ao tema”. Cintia participa nesta quinta (23.02) de reunião na sede da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em Brasília, quando a concessão de rodovias federais volta a ser debatida.
Miguel Arenhart, presidente da Acil, lembrou que em praticamente todo o primeiro mundo as rodovias são concedidas à iniciativa privada, havendo uma cobrança justa pelo serviço. Já o presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC VT), Ito José Lanius, teceu considerações sobre o custo da logística brasileira, que é próximo de 20% do produtivo interno bruto (PIB) nacional. Quanto mais alto o custo, pior é a competividade do país no cenário internacional. Nos países desenvolvidos, esse custo é inferior a 10%. É por isso que admitimos o pedágio, pondera Lanius. Alguém tem que investir na manutenção das rodovias, que é o modal mais usado no Brasil, reforça.
Além dos presidentes da Acil e CIC VT, participaram da reunião na manhã desta terça os presidentes e representantes da Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do VT, Sindicato do Comércio Varejista do VT, Ordem dos Advogados do Brasil – Subsecção Lajeado, Observatório Social Lajeado, Sindicato dos Contadores de Técnicos em Contabilidade do VT, Associação Lajeadense Pró-segurança Pública, JCI Lajeado e a vereadora Mariela Portz.
O Forúm das Entidades aguardará o desenrolar da reunião desta quinta-feira em Brasília para definir as próximas ações referentes à mobilização sobre o tema

Fonte ACIL- Lajeado

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...