Pecuaristas apostam na silagem para alimentar rebanhos

A preocupação em produzir alimento volumoso para os rebanhos, particularmente para o período seco do ano, quando as pastagens naturais tornam-se cada vez mais precárias, tem aumentado a utilização da silagem, especialmente entre os pecuaristas. Importante fonte de energia na dieta de bovinos de leite e de corte no Brasil e em diversas partes do mundo, a silagem reúne diversas características positivas para o tratamento dos animais, como a alta produtividade e o elevado valor nutritivo do alimento.

Embora existam diversas plantas que sirvam para a produção de silagem, o milho é uma das culturas mais utilizadas neste processo no Brasil por apresentar um bom rendimento, excelente qualidade de fermentação e manutenção do valor nutritivo da massa ensilada. Além disso, outras vantagens proporcionadas pelo cereal são um baixo custo operacional de produção e uma boa aceitabilidade por parte dos animais.

O secretário de Agricultura, Romacir Martins, ressalta o grande crescimento da produção de silagem de milho nos últimos anos. “É uma ótima forma de manter o gado bem alimentado durante o inverno, com um alimento de valor nutritivo elevado e de baixo custo de produção”, afirma.

“Além de ser uma opção alternativa de alimentação para os animais, a silagem de milho traz benefícios também para a terra onde é produzida, pois ela a nutre com substâncias que aumentam a sua produtividade. Além disso, os produtores conseguem ter uma melhor colheita, uma vez que, devido a silagem ser feita com o milho mais verde, os produtores chegam a colher até duas vezes por safra”, salienta Martins.

O agricultor Sérgio Garcia Alves (40) conta que tem apenas uma pequena área de terra para fazer silagem, mas a colheita deverá suprir a demanda para seus animais. “Tenho plantado pouco mais de um hectare de milho e acredito que devo produzir cerca de nove a dez toneladas de silagem. Com essa quantidade, devo conseguir alimentar meus animais durante o inverno sem precisar comprar ração”, disse.

Alves está recebendo auxilio da Prefeitura para fazer a colheita da silagem, com empréstimo de colheitadeira, trator e operador. “É a primeira vez que estou utilizando esse auxílio da Prefeitura. Está muito bom, tem me ajudado bastante. Além do baixo custo da produção da silagem, não terei mais esse custo da colheita, o que é muito bom”, ressalta.

O agricultor conta que para o próximo ano pretende plantar em uma área maior e mais próxima de sua casa. “Além de ser maior, tem um solo melhor, o que deve aumentar minha produção. Espero contar com a ajuda da Prefeitura novamente”, brinca.

O secretário acredita que um dos motivos do crescimento da produção de silagem de milho se deve ao fato de Taquari não ter um lugar apropriado para o armazenamento do grão. “A produção de silagem de milho está muito difundida e crescendo cada vez mais em nosso município também devido à falta de um silo de armazenamento para o milho em grão. Muitos ainda guardam o milho em galpões, o que acaba facilitando a criação de fungos nos grãos. Acredito que, se um dia construirmos um silo, a produção de silagem de milho deve diminuir”, ressalta.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...