Palestrante ensina como implementar marketing de alta performance

Na manhã desta quinta-feira, 09 de maio, a Câmara de Comércio, Indústria e Serviço de Estrela (Cacis) promoveu o Bom Dia Associado com a participação de cerca de 120 associados, no Estrela Palace Hotel, em Estrela. O palestrante foi Leandro Alves, CEO da Orium Data-driven Marketing, empresa que auxilia organizações de diversos portes e setores a consolidar suas marcas com uma metodologia orientada a resultados. Ele atua há mais de 18 anos em marketing e publicidade.

Leandro Alves apresentou o cenário da internet no mundo e no Brasil, onde 80% da população têm hábitos digitais, o que tem levado o consumidor a um novo modo de pensar. Segundo ele, as empresas devem estar atentas ao comportamento de seus clientes e dar importância a campanhas digitais e estratégias de conteúdo na área de vendas.

O mercado consumidor mudou muito e a complexidade na decisão de compra é enorme. As empresas que entendem isso e se moldam a essas mudanças estão avançando. Exemplos como a AirBnB e Uber foram citados, lembrando que essas empresas, apesar de pertenceram a um setor, mudaram a forma de oferecer o consumo de seus produtos e inovaram.

Para Alves, ignorar as mudanças digitais que acontecem em velocidade rápida, é um erro fatal. Se antes, os poderosos varejos alicerçavam seus negócios em lojas com grandes espaços físicos e muitas filiais, hoje estão atentos ao desempenho de seus sites. E o Google entrega dados consistentes sobre novos hábitos de consumo que podem auxiliar na compreensão de comportamentos de compra. De acordo com a empresa, 78% dos consumidores, gastaram mais tempo em pesquisa online do que dentro das lojas físicas e 91% compram (ou planejam comprar) logo após a visualização de um anúncio relevante. Ainda, o Google informa que cada segundo na espera do carregamento de um site, provoca até 20% de queda na taxa de conversão. Diante desse quadro, as empresas devem questionar como está a velocidade de seu site para obterem mais assertividade nos resultados de vendas.

Se mudam as formas de compras, mudam também a forma de oferecê-las. Estudo da Magna, braço de pesquisa da IPG Mediabrands, até 2020 a verba digital aplicada em campanhas será 50% do total. Em 2017, pela primeira vez o investimento digital ultrapassou os veículos convencionais.

Alves explicou que cada vez mais o marketing tem que ser orientado a dados (data-driven). “Entender isso dói menos”, salienta. Por essa razão, é fundamental saber mais sobre marketing outbound e inbound. O primeiro, é mais conhecido como o marketing tradicional. Ou seja, o tipo de marketing que já estamos acostumados: as empresas vão atrás dos consumidores ativamente para adquirir mais clientes. Porém, ele tem um ponto negativo que é bastante relevante atualmente: o marketing outbound interrompe alguma atividade do consumidor quer apenas ler as notícias do jornal ou ler o conteúdo de um site, e não ser abordado sem autorização por uma marca que ele sequer conhece.

Já o marketing inbound, possui o objetivo de atrair o interesse de potenciais consumidores, sem a necessidade de interromper a sua rotina. “O que atrai o interesse dos consumidores são os conteúdos que a marca produz com o marketing digital”, explicou Alves.

O palestrante falou sobre ferramentas e estratégias de implantação do marketing inbound e como conciliá-lo com o outbound. Existem recomendações que são básicas, desde revisar histórico, vendas e marketing, criar um blog para gerar conteúdo, definir orçamento mínimo para anúncios, passando por pesquisas aprofundadas, uso de ferramentas de automação e estratégia funil, até utilização de ferramentas de análise de desempenho de marketing e definir orçamento avançado e fixo para anúncios. “O cenário é esse. Ferramentas e metodologias existem. Porém, não é rápido e não é mágico. Mas é democrático e  mensurável”, finalizou.

Fonte Dobro Comunicação

você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...